21 de set de 2009

Muito mais e ainda além

Era um dia meio à toa sem nada para fazer...
Um domingo chato com aquela sensação de que "ninguém me ligou até agora para fazer nada, não tenho ninguém" aquelas crises existenciais bem típicas minhas e aquele draminha básico.

Fui ao shopping e comprei um belo vestido que valorizava minhas pernas...aliás algo que sempre é bem elogiado.

Liguei para uma amiga, a Tati, que cai sempre nas mesmas roubadas que eu e falei:

- Vamos sair?
- "Para onde?"
- Qualquer lugar, preciso olhar e ser vista, já não aguento mais a TV!
- "Tá bom, decide ai e vamos!"

Em meia hora estava na porta da casa dela.

- Vamos para "tal" lugar? disse eu (melhor não dizer nomes)
- "Sabe que eu lembrei? Poderíamos ir para as bandas da Zona "x" lá a gente nunca foi, deve ser interessante"

- Vamos!

Nos perdemos, fomos ignoradas para pedir informação na rua, um ciclista bateu com sua mão no meu carro, um carro entrou sem olhar exatamente ao lado do meu carro (quase bati) e para piorar os frentistas do próprio bairro não sabiam como chegávamos no tão famoso bar "x".

Até que paramos na porta de um sambão e tinham 4 homens.
Perguntei como fazia para chegar no outro lugar e para minha alegria o mais lindinho de todos veio me atender.

Prontamente ele me ensinou como chegar, mas no meio da explicação o amigo dele nos deu 2 vips para entrarmos lá mesmo.

Por mim, assunto encerrado, ficava lá mesmo, mas minha amiga estava na época de "não podemos ser oferecidas" só que neste caso não era oferecimento, era apenas oportunidade!

Eu não entendi nada do que ele estava falando, estava prestando atenção nos olhos, na boca, no corpo, no jeito, na educação etc...minha amiga escutava tudo direitinho!

Antes de irmos ele disse - "...mas acho que aqui está melhor..."
Para mim aquilo era um convite, mas fomos para o outro lado do bairro achar o tal bar "x".

Quando chegamos, o local estava completamente vazio.
Olhamos uma para a cara da outra e pensamos: e agora?
Como somos amigas do colégio não precisamos de palavras, só olhares bastam e a opção foi voltarmos para aquele sambão que tínhamos VIP.

Chegamos no sambão e logo de cara ele me reconheceu ficou me olhando até eu ir agradecer o ingresso. Lógico, sou uma pessoa educada (não oferecida). 

Perguntou porque voltamos e eu disse que estava vazio demais e ele relembrou eu falei que aqui estava melhor. O assunto ficava passeando entre a falta de assunto e assunto quase nenhum...decidi voltar para o meu lugar.

Nos olhamos a noite inteira até a hora que uma "amiga" dele o agarra...ela estava sondando o terreno fazia tempo, mas atacou.

Com a cara de não sei o que faço e a dele de "desculpa, mas ela era o meu esquema de hoje" preferi achar que a vida é muito engraçada para um domingo a noite...continuei na dança, mas no final me dei conta que: a vida é muito mais do que isto, mas o samba este é tudo de bom!

Mundo Bom

Reações:

0 comentários: