21 de abr de 2010

Déo ante o altar

Ontem foi o dia do nosso primeiro casamento!
A primeira vez que seríamos um casal diante o altar com a benção do padre.
Tudo bem que não era o nosso casamento, mas padrinhos são quase isto né?
Lembro do dia que fomos convidados para o tal evento (você não estava obviamente). Aliás quase todos os convites que recebíamos você não estava.

A Luana me falou que fazia questão de nós dois sermos padrinhos. Eu até comentei com ela que não se fazia necessário afinal de contas vocês se viram duas ou três vezes no máximo, mas ela insistiu e falou que queria você lá ao meu lado. Que era importante os dois juntos!

Quando eu te avisei você olhou com cara de ter adorado, deu um belo sorriso para mim e falou... mentira estou fantasiando a história para ficar mais interessante a quem lê na verdade não sei qual foi a sua cara, pois falei com você pelo telefone. Tenho a ligeira impressão que sua cara foi do tipo "que porre", mas para mim você respondeu: " - Lindaaaa que demais!!! É claro que nós vamos!!!!! Seremos o casal mais apaixonado da igreja!!!!!!!!" exagerado você sempre foi...

Diante da resposta animadora confirmei com a Luana que ficou feliz e ainda me disse: " - está vendo? e você querendo não combinar com ele! Sabia que ele ia aceitar!!!"

Na semana seguinte você tinha uma viagem marcada, não, não era a trabalho era apenas uma viagem na casa da avó ou da tia, sei lá, a cada quinze dias você costumava viajar para a casa de algum parente em alguma cidade ficava difícil saber quem era.

Ontem no nosso primeiro casamento que você não foi tive que entrar com outro padrinho! Ele é alto, ombros largos, olhos esverdeados, cor bronzeada como quem acabou de sair da praia.

Antes de entrarmos no altar confesso que dei um fora, pois eu tinha dado algumas olhadinhas para ele sem saber que ele seria meu par.

Quando fomos apresentados a sensação que eu tinha é que já tínhamos nos apresentado (se é que você me entende).
Além de visualmente agradar o papo me agradou também!!!
Achei que tivemos uma sintonia muito grande!

Ontem no nosso primeiro casamento que você não foi, me dei MUITO BEM!!!

7 de abr de 2010

Novelas ou novelos?

Um dia você está quieta no seu canto e aparece um fulano qualquer de forma inusitada, num bar por exemplo. Ele se chama Francisco.

O Francisco aparece e começa a jogar todo seu charme para você.
Até então você nem sabia da existência dele no mundo, mas você que não é boba nem nada decide dar uma oportunidade ao acaso (ou a carência, quem sabe o nome que damos para estas coisas que fazemos?).

Ai você começa a conhecer o Francisco, achar o Francisco interessante, achar o Francisco educado, achar o Francisco carinhoso, achar o Francisco simpático, achar o Francisco bonitão e suas amigas não AGUENTAM mais você e o Francisco.

Vocês estão indo bem e saem para um barzinho, no outro dia para uma comida japonesa e no outro vocês são a sobremesa um do outro.
Daí por diante é um jogo de “ligo-não ligo”, “falo-não falo”, “demonstro-não demonstro” que podem durar dias e até meses (conheço uma que esperou sete meses para o cara decidir se queria namorar com ela, no caso dela, quis!)

Para não ficar muito encucada, você que não é boba nem nada (de novo) começa a puxar pela memória os seus casinhos não muito bem resolvidos e nem muito doloridos. Pra que? Para não ficar muito apegada ao rolo atual e nem muito decepcionada caso deste mato não saia cachorro.

Até ai você tinha o Francisco e ponto. Ponto nada!
Na lista de ex-rolos você tem o Paulo (aquele rolo mal resolvido, mas boa praça que trabalha muito bem na cama e fora dela). Aliás não sei o que esperar de alguém que chamamos de ROLO, se é enrolado como pode sair alguma coisa normal disto?

Mas voltando ao assunto, além do Francisco e do Paulo tem mais um intermediário, que você conheceu antes do Francisco aparecer na sua vida e depois do Paulo ter saído dela.

É o Gustavo. O Gustavo é um cara bacana que tem todos os cursos possíveis e imagináveis, fala fluentemente inglês, espanhol e francês, tem uma casa na praia, uma casa na cidade, dois carros, um rosto de modelo e o corpo acompanha.

E tendo isto tudo, tem uma fila enorme de mulheres no pé e você claro não pode demonstrar interesse, não para este.

Na verdade ele se interessou por você justamente por isto, pela sua total indiferença a ele. Só que ele por ser tudo isto, costuma ter uma agenda de compromissos enorme e normalmente vocês só se encontram em aniversários de amigos em comum (até da para tirar umas lascas, mas a concorrência é cruel e desleal). 

Porém todas as vezes que definitivamente ia rolar uma saída digna para apreciar o produto, ele tinha que dar uma palestra no fim do mundo. Ai você começou a se cansar e deixou ele na geladeira. Ele percebeu e sempre dava um jeito de te ligar para falar “oi”.

Então são 3: Francisco (o atual), o Paulo (ex-rolo) e o Gustavo (workaholic).
Agora sim, agora dá para brincar com o Francisco sem se machucar!

Sugere uma saída para um, telefona para o outro, manda msg no celular para o terceiro e concilia sua agenda com a deles, ótimo?
Ótimo!

Perfeito!!!! Agora to com a vida ganha...

Tá nada...muitos homens e nada sério com nenhum, muitas expectativas disfarçadas de super independência, modernidade e cabeça aberta...

E tudo isto por que?
Porque você ama Rodrigo!

3 de abr de 2010

Meus Déovaneios...

Eu nunca te amei.
Não, não é raiva não. É que eu nunca te amei mesmo.
Nunca fomos se quer paqueras! Nunca tivemos nada...

E no entanto, de tempos em tempos você aparece no meu sonho!
E juro que não tenho nenhum desejo oculto por você, nunca fiz simpatia com seu nome, nem coloquei mel numa cueca sua, nem sei se você usa cueca!

Agora pergunto: com que direito você que nunca representou nada além de ser um vizinho da rua debaixo, que pegava carona com o meu pai para ir para escola, aparece em meus sonhos?

Para falar a verdade uma vez na vida eu achei que tínhamos algo, mas foi na sexta série e naquela época eu achava isto de quase todos os meninos que eu convivia.

Acredito em outras vidas, mas se você fosse alguém mal resolvido de outra vida não apareceria em meus sonhos sendo quem é hoje te encontraria do jeito que você era nela e não agora!

Até pensei em te procurar para perguntar, mas eu vou falar o que?

Oi, tudo bom, não sei se você sabe quem sou eu dei uma mudada era maischeinha. Tá bom eu era gordinha, usava aparelho e óculos. Normalmente eu tinha algum apelido bem carinhoso dos colegas da escola. A gente ia todos os dias juntos para escola, pois éramos vizinhos. Sabe o que é? Mais ou menos uma ou duas vezes por ano eu sonho com você. E isto me incomoda. 

Incomoda muito porque não tem motivo. E sempre acordo pensando: por que? O que ele quer comigo? Então vim aqui para te perguntar se por acaso você tem algo a me dizer alguma grande revelação tipo novela mexicana, sabe?

Ele olharia para mim com aquele 1,90 (os pais dele ainda moram na rua debaixo e de vez em quando vejo ele saindo da casa dos pais, por isto sei do tamanho todo) um sorriso MARAVILHOSO, olhos penetrantes e um ar de sério misturado com ar de sem graça e me diria: "Acho que você está me confundindo!"

Depois me largaria lá feito poste e seguiria sua vida normalmente...
E eu colocaria mais esta história como um grande mico que vivi.

É por isto que não vou dizer nada. Não vou falar nada para você e muito menos descobrir o que é isto.

Dá próxima vez que eu sonhar com você eu pergunto porque você aparece para mim! E assim resolvo por lá mesmo!