26 de dez de 2012

Para o próximo ano, eu quero...

E este é o último texto do ano!
Um ano muito bom pro Cai Fora, Deodora.

Este espaço surgiu de um mix de mulheres, que passam por situações engraçadas ou não. O sofá da capa do blog não surgiu à toa, é para que todos sentem e compartilhem suas histórias!

Foi um ano postando semanalmente textos para entreter, para dividir e deixá-los mais próximos de mim. Para mostrar que todos nós temos histórias similares, que quando o amor ou a paixão fala mais alto, o resto deixamos pra lá.

Este ano passou voando e se todos nós olharmos para trás, saberemos identificar no ato o quanto aprendemos, até mesmo na dor.
Eu não avalio mais o ano que passei, eu avalio meus atos e meus possíveis tropeços e claro que a cada vez que viro o ano, digo:
- Preciso melhorar neste, neste, neste, neste e neste aspecto.

Maine Desk


Não quero ser clichê.
Quero dizer que ainda iremos errar muito, tropeçar bastante, atropelar as coisas, meter os pés pelas mãos, julgaremos as pessoas muitas vezes sem conhecê-las, brigaremos por conta de uma TPM (se você for mulher e se for homem também, pois outro dia me disseram que os homens também tem TPM de forma diferente), ficaremos aguardando uma ligação que jamais irá acontecer, mas apesar de tudo isto, colocando o pezinho em 2013 vamos tentar respirar!

Respirar antes de qualquer coisa, contar até 10, permitir primeiro sentir para depois agir, dar um passo e depois o outro para ai sim ter uma ação...

O mundo não vai acabar se você não ligar para um belisco logo após que ele te ligou e você não ouviu tocar, sua amiga pode esperar você terminar de contar uma história para seu sobrinho ou irmãozinho antes de vocês irem para aquela festa mega badalada, aquela roupa da vitrine não vai sair de lá correndo se você não puder ir na loja exatamente naquele dia e por aí vai...

A vida não vai correr se você andar. A vida anda no passo que você dá. E sair correndo não faz nada acontecer mais rapidamente. Aliás, é capaz dela não entender o recado e atropelar a entrega dos seus pedidos...

Aceite mais, debata menos, permita-se errar.

Não estou dizendo isto porque é final de ano, mas porque tentei o ano inteiro fazer isto e acho que estou dando pequenos passos. 

É um exercício diário, mas se queremos que o mundo compreenda nossos motivos e nossa existência, precisamos nos dar tempo e dar tempo ao próximo para esta compreensão.

Que a gente comece por nós mesmos. Comece a entender os nossos atos, nossas falhas com gratidão. Que a gente aprenda a rir dos nossos erros e tire o que foi bom apenas.

Muito balela? Muito texto de final de ano? 
Até pode ser, mas acredito muito nele e utilizo já faz muito tempo!

Deodorenses queridos, que 2013 vocês façam ser espetacular para vocês e não para agradar os outros. Sejam genuinamente amáveis e gentis com vocês que automaticamente serão com os outros!

Até 2013 galera!!!!!! 
Bjs da Déo

19 de dez de 2012

"Ainda exista amor pra recomeçar, pra recomeçar..."


  • Você tem alguma história que gostaria de compartilhar?
    Este espaço é seu! Mande sua história para caiforadeo@gmail.com que eu conto! 

    Hoje eu vou contar a história da Vanessa...
    Déo, acompanho o seu blog por me interessar sempre por sentimentos, por almas, pelo amor... Não estou nessa fase de beliscos... nem consigo me imaginar só beliscando. Não que eu ache errado, só não estou mais nesse momento.

    Há pouco tempo passei por um divórcio dolorido e tudo que eu mais quero agora é a sorte de um amor tranquilo...

    Escrevo porque sinto essa necessidade em mim de mostrar o que eu aprendi depois de toda a minha experiência.
    Tive que me separar do único homem que amei (até hoje) de verdade. Desses amores de te tirar de certa maneira do seu eixo, de fazer com que tudo gire em torno da pessoa amada. Eu pensei que seria pra sempre, mas não foi. Dei o melhor de mim, aguentei todas as dificuldades, superei tantas coisas, passei por cima de outras... E de que adiantou tudo isso? Me fiz tantas vezes essa pergunta.

    Li uma frase: o amor faz tudo parecer possível. E realmente faz! E é isso que mantém um relacionamento. Porque impossibilidades estão por toda a parte, mas o amor nos faz acreditar, nos torna capazes. E se acabou o amor? Acaba a esperança, a vontade de lutar, de estar do lado, de superar os problemas juntos... Tudo se esvai e o que fica é só a vontade de fugir diante da nova realidade que se abriu diante dos olhos, antes esperançosos. Qual é de fato a verdadeira realidade? Pra mim, é aquela que escolhemos. Não há certo e errado, real ou fictício. Há o que eu vivo. 

    Imagem retirada do Falando.com

    Esse foi o meu ganho: Eu amei! Diante de tudo, sempre via possibilidades de recomeço, de vitória. Nas dificuldades, eu lutava. E isso é mágico, é especial. Por mais que não tenha tido o final que eu sonhei, eu tive o privilégio de dar o melhor de mim pra alguém. O que não é fácil de se fazer. Mas eu consegui! Essa capacidade de amar, de se doar... é uma dádiva concedida a alguém. E seu eu tenho essa capacidade, com certeza existe alguém que mereça e queira receber tudo isso.

    E mais... Com toda essa história, aprendi a me valorizar. Depois de muitos choros e pensamentos de “o que há de errado em mim” eu entendi o que houve de certo em mim em toda essa história: eu consigo amar! Eu sei amar!

    E acredito que depois dessa experiência estarei pronta para amar de novo e de uma maneira mais madura, mais segura, sem fantasias e sem turbulências tão desesperadoras. Não quero mais um amor que me tire do eixo. Quero um que me ponha nos eixos e me leve a uma vida onde o companheirismo, o carinho, a paixão, o respeito e a alegria de dividir uma vida estejam sempre latentes. Um amor que enxergue as impossibilidades como apenas mais uma aventura a se viver juntos. Um amor que sempre escolha essa realidade, que sempre escolha a mim.

    Você acha isso impossível? Então experimente amar!

    Van, o que eu posso te dizer diante de tanta sabedoria? Você é uma guerreira, uma mulher forte e sábia. Que lá no fundo sabe que tudo o que aconteceu foi o melhor que podia acontecer.
    Sabe que por mais que você tentasse, poderia ser pior e aceitou a situação, tanto aceitou que fez este belíssimo texto e eu tenho a honra de postar aqui para que todos, homens e mulheres, possam ler e sentir o que eu senti nele: leveza! Você está leve e disposta a encontrar quem te coloque nos eixos! 
    Boa sorte

    Bjs da Déo

    12 de dez de 2012

    Esse cara é para a Déo

    Por muitos e muitos anos, eu dizia que se um homem cantasse esta música eu me casaria com ele.

    Pode perguntar para todas as minhas amigas e amigos que ouviam isto.
    Foram anos achando toda esta história romântica, encantador, bonitinho, meigo, fofo...

    Agora mulherada, cheguem mais perto, lendo esta música, frase por frase, friamente, alguma de vocês se casaria com o cara desta música?

    Se eu tivesse um cara que dançasse tango no teto, que fosse apé do Rio a Salvador, tomasse banho gelado no inverno, vivesse em greve de fome, ele não estaria nem vivooooooo ao final de toda esta maratona! E convenhamos, qual mulher quer um cara que faça tudo por ela?

    Nem aquelas que se dizem sonhadoras gostariam, porque imagina só todo dia alguém ao seu lado fazendo exatamente tudo o que você quer, mas assim, tudo mesmo e sem reclamar!!!!????

    Não ia dar, a gente gosta de uns "não"s de vez em quando, a gente quer um conflitinho nem que seja só para fazer as pazes depois, a gente quer uma tensão, não é não?

    Para ajudar, Roberto Carlos chegou com uma versão mais melosa e realista disto que é Esse cara sou eu e que tem gerado vários burburinhos no facebook e twitter do povo. 
    Analisando as duas músicas, é mais fácil ter um cara meloso, porém real, que não tenta fazer coisas que não vão dar certo, do que o que dança tango no teto.


    É claro que nós mulheres adoramos dizer que seria tudo de bom um homem assim, mas no fundo, no fundo mesmo, não é este cara que vai fazer a gente suspirar.

    Por isto eu resolvi fazer uma versão das duas músicas. 
    Versão simples, sem muita rima, mas que capta bem o que um cara tem que ser para mim! 

    Aquele que vai preparar o jantar toda noite,
    Que vai lavar a roupa e passá-la,
    Vai me ajudar com as compras do supermercado,
    Levar o lixo para fora de casa,
    Pregar os quadros na parede e pintar a sala sorrindo,

    Deixar eu assistir meu programa predileto na tv (seja ele qual for) sem reclamar
    Pagar minhas compras quando meu cartão estourar!
    Que vai sorrir quando eu pedir para ele levantar de madrugada para atender o telefone...

    Não vai roncar toda noite enquanto eu durmo
    Nem vai me deixar esperando sua ligação por um dia inteiro
    E vai entender minha TPM sem chiar!

    Este cara é pra Déo!!!! :)

    6 de dez de 2012

    O café na xícara

    Eu acho que determinadas coisas tem mais sabor nos lugares que foram feitos para elas mesmas.
    Exemplo? Café. O café foi feito para ser tomado na xícara, o sabor do café na xícara é completamente diferente do sabor do café num copo.

    E para mim os relacionamentos também!

    Se é um relacionamento tem que passar por todas as etapas de relacionamento: tem que conhecer, tem que sair pra jantar, tem que pagar a conta sim e tem que ficar. Digo mais, se é para ser namoro, tem que pedir em namoro. Não sei quem disse que isto é brega. Brega é não saber o que você quer e ficar enrolando os outros, isso sim.

    Não to falando de PA, to falando daquele que você quer namorar.

    Outro dia conheci um cara que tinha todas as características de "isso vai dar namoro". 
    Convidava para jantar, buscava, levava, pagava a conta, dividia assuntos, me ouvia, perguntava como eu estava. Ligava mais vezes do que eu para saber como eu estava, dizia que estava com saudades...

    Fui deixando levar, até mesmo porque sempre dizem "os homens não gostam de se sentir cobrados". Como eu também não gosto de cobrança fui deixando.
    O Evandro foi levando também...até que na semana passada:

    " - Déo, é o seguinte: adoro conversar com você, dou risada, distraio, concordamos em muita coisa, quando a gente passa os dias juntos eles voam,              mas para mim, esta história está demais"

    - Demais?

    " - É. A sua vida é muito de boa, você quase não me liga para cobrar porque eu não te liguei, você não exige de mim nada além do que eu posso te dar. Quando eu te digo que queria muito conseguir ir ao cinema com você nem que fosse a última sessão lá para meia noite você fala que se não der tudo bem que você entende bem isso. Você é compreensiva demais, não consigo lidar com isto...prefiro mulheres que sabem o que querem..."

    - O fato de eu não te cobrar e nem ficar no seu pé representa falta de interesse e indecisão?

    " - É. Mais ou menos isto. Acho que não dá mais."

    - Evandro, a gente já está ficando faz um tempo. Eu sei que a gente se dá bem e que merecemos uma nova oportunidade, mas isto só pode acontecer se você deixar.

    " - Agora? Depois que eu falei? Já não rola mais. Na verdade isto tudo é pra dizer que eu to saindo fora."

    Hã? É isto mesmo? O mundo tá doido ou o que?
    Se uma pessoa decide me dizer tudo isto e eu respondo que podemos mudar a situação e esta mesma pessoa diz que não dá mais eu faço o que?
    Finjo que nada aconteceu?

    Por isto que digo que as coisas são melhores nos seus devidos lugares, o café na xícara, a sopa na sopeira, o vinho em sua taça e os loucos no hospício! Pronto falei tô leve!

    Imagem retirada do blog Biblioteca ETS




    29 de nov de 2012

    De cores já basta o arco-íris!

    Você já contou a sua história no caiforadeo@gmail.com? 
    Ainda não? Faça como a Ana Laura que já enviou esta história e esta e que hoje está nos enviando mais uma!

    Déo, conheci ele através de uma amiga, em um momento que eu nem estava tão exigente, só precisava mesmo, era de um bom belisco. 
    A principio tudo normal, foi um açaí a três: eu ele e a amiga que nos apresentou. Cara bacana, aparentemente responsável, descontraído, e um belo par de olhos verdes. Sabe quando apostamos, mas no fundo não damos a minima se perdemos?? Na verdade já estava até conformada em não dar em nada.

    Passados exatamente 6 dias ele liga perguntando se podia vir em minha casa. Apesar de estar atolada pela semana de provas, permiti. Conversamos bastante sobre tudo antes de partir para os amassos, só ficou nisso.

    Torpedos todos os dias de boa tarde, bons estudos e boa noite. E foi assim nas seguintes três semanas. Até que um dia, ele some por dois dias. Pensei coisas típicas de mulher: O QUE SERÁ QUE EU FIZ DE ERRADO, mas tipicamente de mulher também fiquei na minha também e não o procurei.

    Até uma noite que eu o encontro em uma festa lotada de gente. Daqueles lugares que só de chegar na porta já sente o mormaço quente vindo de dentro. E para piorar só tocava o estilo de música que eu tenho um pouco de resistência: sertanejo. Mas mesmo assim, estava lá, feliz da vida aproveitando minha véspera de feriado.

    Eu e minhas amigas ficamos encostadas no bar, aproveitando o arzinho fresquinho de ventilador divino. Até que uma delas repara que um rapaz (segundo ela) não parava de me olhar. Ficou do meu lado e me encarava demais. Até aí tudo bem né?! Afinal eu estava em frente ao bar, ou seja, qualquer aproximação seria indiferente pra mim. E não é que a pessoa estava se dirigindo ao bar, e não a mim. E não é que esta pessoa era ele? Só que eu achei desnecessário eu atravessar novamente aquele mar de gente apenas para falar um  "oi". Então resolvi deixar pra lá, e cumprimentá lo na próxima vez que o visse. Bom, também não deu. Porque a segunda e última vez que o encontrei, estava dançando com outra. 

    No final da festa tentei localizar ele para explicar que não foi por querer a minha falta de educação e sim porque eu realmente não o vi. Só que ele já tinha ido embora. E ficou esse clima chato por mais 3 dias. Nenhuma ligação, nenhum torpedo. 

    Final de semana seguinte ele chega em minha casa querendo saber o que eu queria no dia da festa, quando ele já tinha ido embora. Expliquei e percebi um ar de indiferença misturado por desconfiança. E foi a partir daí que meu talvez conto de fadas, começou a dar defeito.



    Extraído do blog Filho de Barbeiro
    Coisinhas à toa aconteceram depois. Mas de tantas "inhas", parece que nosso caso foi e está se desgastando aos pouquinhos. Em doses praticamente imperceptíveis.  
    Por causa da minha carência me apeguei demais a ele. E ele percebeu isso. É torturante ver a hora em que ele costuma mandar mensagens me desejando boa noite passando e eu não receber nenhum torpedo.

    Há duas semanas atrás tivemos um desentendimento. Por mais que me cortou o coração, tentei o evitar por um tempinho. Para ver se ele sente falta mesmo sabe?! Se ele realmente gosta da pessoa Ana Laura, da minha companhia, ou se eu era "o que tinha pra hoje". E funcionou! 

    Ligava todos os dias, vinha em casa, enchia meu celular de mensagens. Isso deixa a auto-estima de qualquer mulher lá na lua. Mas então chegou o dia em que ele me colocou na parede. E não pense vocês que foi me pedindo em namoro não. Ele é do tipo de que não assume que está em um relacionamento, por outro lado não quer terminar. Parte de mim queria um relacionamento com ele. 

    Poxaa Déo! Até então achava que nós nos dávamos tão bem em todos os sentidos!!!!
    Só que depois dessa ultima conversa que tivemos, percebi que não. Não nos damos nada bem.  Eu não queria namorar oficialmente, mas queria poder cobrar as coisas. Aonde ele esta indo, com quem ele está indo, que horas volta... 

    E se alguém ai falar que isso é ciumes demais, eu digo: NÃO É. 
    É uma forma de preocupação, de querer bem. E esse nosso caso não me permite fazer isso. A verdade é que até o dia da conversa, nem eu sabia o que queria de nós dois. 

    Nós falamos, falamos, falamos... e no final, não falamos nada. E continua na mesma. Ele me procura quando quer e quando não quer some.
    Segundo ele, desde o começo eu já sabia que iria ser assim. Essa chamada "AMIZADE COLORIDA". O que eu acho o cúúúmulo por dois motivos. 


    * Primeiro: nem quando eu tinha 12 anos de idade, eu usava esse termo. Porque agora com 21 anos usaria?? Existem outros termos mais decentes. Ficantes, "nos conhecendo", poxaa eu topo até amante. agora, amiga colorida??  

    * Segundo: eu não sou amiga dele. Bom, se eu sou amiga, quer dizer então que ele se deita com todas as amigas?? Eu estou um patamar acima de amiga e um abaixo de namorada. 

    O bom dessa "não conversa" que tivemos, foi porque percebi que nós como namorados não daria certo. Eu sou a tipica menina ciumenta e ele o tipico rapaz que faz disso, uma alavanca para que seu ego fique lá no céu.

    Agora eu sei o que eu quero. Eu quero levar tudo isso do jeitinho que está. Exatamente igual. Sem tirar e nem pôr. Ele é muito mais útil sendo um belisco disponível do que como um namorado. E só agora percebi isso. Não querendo vulgarizar essa história, mas eu não tendo um relacionamento sério, permitirá que eu conheça pessoas novas, a procura das mesmas coisas que eu. Um companheiro mesmo, para todas as horas.

    Dessa vez, minha história não tem fim. Porque passaram-se quase 3 meses e continuo com ele. Nesse chove e não molha. E diga-se de passagem, exatamente hoje, passando por um dos vários momentos doril * dele.

    Você...pessoa que aposta todas as suas fichas em alguém. Que se entrega, de corpo e alma por uma paixão... PARE!

    Pare e não dê nenhum passo a mais. Pois é loucura entregar uma coisa valiosa, para um alguém que não seja capaz de cuidar. E pior, entregar para um alguém que você nem sabe se está dispostos a carregar tamanha responsabilidade. Conselho de uma amiga!

    Beijos meninas, beijinho Déo ;*

    Ana Laura querida...você está confusa com esta relação, porque em momentos diz que vai aceitar a tal amizade colorida porque tá bom e outra hora diz que não é para ninguém apostar suas fichas em uma paixão. E porque ele te deixa ficar assim.

    Eu te digo uma coisa: existem dois tipos de mulheres - as que curtem um PA* e as que não curtem um PA. 

    Se você é do tipo sentimental, que sente ciúmes, que quer saber onde a pessoa está (que pra mim é ciúmes e cuidado), que quer sábado e domingo alguém pra dormir juntinho, de conchinha e todas estas coisas que uma relação tem, cai fora de "amizades coloridas". O cara já deixou bem claro desde o início da proposta amizade colorida, porque você concorda que é cômodo? 
    Se ele não quer nada é amizade colorida, se você arranja alguém, ai ele pode sentir o ego ferir e dizer que estava rolando um "lance legal", lance legal são jogos de dardos, arco e flecha etc, o restante é conversa pra todos os bichos dormirem! Belisco é belisco...você vai, dá uma beliscada e pronto! 

    Agora se você é do tipo que aceita muito bem relação aberta e que sabe qual a diferença de um PA e um cara por quem você está amando? Leve a relação até o fim, porque é capaz de você sair dela antes mesmo do que ele.

    A alma do negócio é sacar isto e não sermos ingênuas...se a relação não está do jeito que a gente banca, cai fora!! 

    *Ah! E para quem não sabe o que é PA - dica, é o mesmo que amigos com benefícios! 

    Se acha...inch inch!

    Você tem alguma história divertida, diferente ou curiosa?
    Mande sua história para mim no caiforadeo@gmail.com que eu conto!! Esta é a história da Ana Laura...que sempre nos manda histórias engraçadas!!!

    Como prometido estou aproveitando um tempinho livre pra contar mais uma história pra vocês. Essa aconteceu no finalzinho do ano passado no aniversário da minha amiga Izadora. 
    Apenas um bolinho mesmo, só para os pais e amigos muito chegados. Ela tinha um "penhasco" por um carinha da faculdade e eu no papel de uma das melhores amigas resolvi fazer uma surpresinha e convidar seu futuro "belisco". No dia ele levou mais dois amigos uma noite muito bacana e sossegada.
    No finalzinho, começou a "sessão flerte". 
    Sabe aquelas pessoas que se acham O CÚPIDO e quer porque quer arranjar nossa alma gêmea em 10 minutos? Pois é. E Foi aí que começaram a me empurrar nos braços de um dos amigos do belisco da Izadora. O Caio.
    Eu fiquei super sem graça, mas como ja tinha uma certa intimidade com todos que estavam lá, nem me importei. Na verdade fiquei com mais vergonha pelo Caio, do que por mim mesma. Não aconteceu nada entre nós. Então, o outro amigo, o Octávio, começou a jogar sua rede pra cima de "moá". 
    Detalhe Déo, ele estava pra lá de Bagdá de tãooooo bebado. 
    E ainda bem que levo comigo o que a vida e você me ensinaram uma lição muito valiosa, que é: NÃO DISCUTA COM BÊBADO. Eu realmente estava super sossegada. Queria mesmo só aproveitar o aniversário da minha amiga. Sem segundas intenções. Deixei pra lá e não fiquei com ninguém. 

    Passados alguns dias a Iza me mostra uma mensagem em que o belisco disse que o Octávio estava LOUCO por mim. Fiquei neutra Déo. Claro que felizinha por possivelmente ter um novo belísco, só que eu não me encantei por ele sabe? Porque ele é o tipo de cara que se passasse por mim na balada eu nem iria perceber.
    O que eu não sabia era que Izadora e Octávio estavam acomunados, e pior eu era a vítima.
    Fui pra casa dela como sempre fazia e percebi que ela estava de segredinhos com alguém no msn e não deixava eu ver quem era esse alguém de jeito nenhum! Até que uma hora ela berra: O OCTÁVIO ESTÁ VINDO TE VER.


    Deodoraaaaa do céu! Eu não sei que raios ele fez pra chegar em 5 minutos, mas pensei, como estou na casa da Iza a gente não vai ficar sozinho, então a situação está sob controle.
    Mas não, minha mega amiga Iza resolve sair com outra amiga nossa para me deixar sozinha com ele na casa dela...sente o drama.


    Óbvio que não rolou nada, porque ele estava com vergonha e eu mais ainda. Ficamos conversando sobre "facebook" e na hora dele ir embora, nos abraçamos - um abraço muito apertado e quentinho, diga-se de passagem - beijinho no rosto e só.
    Na semana seguinte encontro Octávio na balada e sabe ne Déo nesta altura do campeonato eu já estava vendo ele com outros olhos. 
    De longe só dei um clássico sorriso de "OI" pra não ficar nenhum clima chato entre a gente, agora para ele meu sorriso foi a brecha que ele precisava. Chegou chegando, mas com o copo na mão. Eu não ligo que o cara beba, eu também gosto de beber um pouquinho, mas meninos se a intenção é ficar com alguém não apareça em coma alcoólico para tentar conversar!
    Mesmo assim, depois de um tempinho e muitas gotas de bebida na minha cara, acabamos ficando e ele não me largou mais a noite inteira! No dia seguinte até a Iza que não tinha ido, ja sabia da história tim tim por tim tim. 
    Não combinamos de sair nem nada, mas trocamos msn, face e nos falavamos uma vez ou outra.
    Nos reencontramos na véspera do meu aniversário. No mesmo banco e na mesma praça. O BAR. Eu achei estranho ele estar lá de novo. O ambiente não é muito a cara dele, mas depois eu descobri que foram minhas amigas que o chamaram. Ele veio me comprimentar e acabamos ficando a noite inteira (de novo).
    Pensei: Bom, se ele foi na véspera, amanhã que é o dia propriamente dito ele também irá. 
    E ele não foi!!!!!!!!!!!! Aaaaaa como assim?????
    Liguei, mandei mensagem, falei com amigos, até no msn eu entrei pra ver se ele tava on. Mas nada! Eu não estava apaixonadinha, mas poxa Déo... Do jeito que ele falava pra mim e pros amigos, que tinha me curtido achei que pelo menos rolaria um FELIZ ANIVERSÁRIO pessoalmente, um "parabéns" no facebook né?!

    Imagem retirada do blog Charge do Diemer.com

    Dei uma sumida porque a ficha caiu que o cara me procurava só em balada sabe? 
    Não tinha a iniciativa de chamar para conversar comigo sóbrio. Aff. Sem comentários. 

    Depois, ele ligou pra Iza, tentando fazer o papel de bonzinho e pedindo desculpas (para ela) e explicando que estava em outra cidade, mas que faria o que eu quisesse pra eu desculpá-lo. (obs. NÃO FEZ NADA). 
    Quando nos reencontramos e dessa vez por acaso mesmo, ele veio falar comigo. Pedindo novamente desculpa e tudo o que já tinha dito pra Iza. Que queria conversar comigo, para eu não achar que ele me procurava só quando estava bêbado e que gostava de mim blá blá blá. Só que assim Déo, ele já foi falando e me agarrando sabe?! 
    Daí eu já dei um sai pra lá e como vingancinha ele fez a típica cena de cara "mau" e beijou uma mulher mais velha que eu para eu ficar com ciúmes. Nada contra as mais velhas, mas ela era bem mais velha que eu e ele. Acho que se somassem as nossas idades daria a idade dela...

    No dia seguinte ele me esculachou pra Iza dizendo que eu era muito grudenta e autoritária e que estava muito “apegada” a ele e que como bom moço ele não queria me fazer sofrer porque em breve ele se mudaria para o nordeste e eu ficaria aqui...e que ele estava cansado de mim...
    ¬¬

    Até pensei em tirar satisfação com ele, mas não era preciso...

    A última vez que nos vimos eu dei um sorriso no canto na boca só  por educação, ele veio me cumprimentar e segundo minhas amigas ele não tirava o olho de mim a noite inteiraaaa. E só para vocês saberem ele voltou e já terminou de novo com a ex, não mudou de cidade e fica perguntando pra Izadora quando eu vou  "aparecer". 
    Aparecer??? Só se for em rótulo de pinga para ele...porque ai sim ele vai me amar!

    Beijo meninas, Beijo Déo.

    Ana Laura, você estava indo tãooo bem, achou interessante não discutir com bêbado, reparou em tudo, mas escorregou ao decidir conversar com ele e dar uma chance para a carência...quer saber? 
    Você é uma mulher de sorte!!! Já pensou este homem saindo com você? Você ia perder para a cachaça, para a cerveja, a vodca, o uisque...você tem é que "cantar para subir" este tipo de belisco é belisco encosto...só resolve com reza brava!!!!

    Obrigada por sempre contar suas histórias aqui!
    Bjs da Déo


    20 de nov de 2012

    No meio do caminho havia uma "amiga", havia uma "amiga" no meio do caminho

    Era eu, a Flá, a Fê e a Pri - mania da gente ficar abreviando os nomes em festas, acho que é para a gente se sentir mais íntima. A festa era de um amigo meu, o Vitor, suas festas sempre são "as melhores festas".

    A Flá e a Fê já eram amigas. Eu, só conhecia a Flá. A Pri só me conhecia.
    Antes de chegarmos na tal festa eu avisei a "Flafê" (fica mais fácil assim): 
    - Meninas, a Pri é gente boníssima, divertida, animada, mas ela tem um jeito muito exclusivo de chamar a atenção. Ela dá sempre um jeitinho de fazer ser muito vista e comentada. Quem não tem uma amiga assim, taca a pedra na Deozinha aqui! 
    " - Beleza Déo" (flafe)

    Chegamos na festa antes da Pri. Música rolando solta, vários pretendentes de beliscos por lá, olhares diversos, eis que chega a Pri: holofotes a ela! Um vestido tomara que caia, já caiu, um saltão, mega maquiada e uma boina estilo Pretty Woman! 

    " - Déo que delícia te ver, uhuuuu a festa ta bombando, cheia de gatinhos... vamos beber, dar uns beijos na boca e ser feliz!"
    - Deixa eu te apresentar para a "Flafê"...meninas, esta é a Pri!!!! 
    " - Oi garotas!!! Tudo bom, vamos sambar" 

    Ela sambou, sambou, sambou, jogou olhares para o percussionista, desceu até o chão e uma hora depois...nenhuma pegação pra Pri...

    " - Déo, acho que já vou embora porque tá miada esta festa ne? No meu bairro as coisas andam melhor e aqui os caras bonitos estão com "modeletes" que tem anorexia e eu tenho outra festa pra ir..." 

    Eu não sou de meia vez...
    - Ta bom Pri! 

    Enquanto ela estava indo em direção ao banheiro devido a quantidade de álcool consumida...um belisco em potencial para ela, se aproximou e em questão de 5 segundos a festa era a melhor festa da vida dela!!!!!

    Eu estava lá fazendo "amizades", "Flafe" também e Pri, bom a Pri sumiu da festa e só voltou no fim. 

    Na hora de ir embora eu peguei carona com o belisco da Pri que era meu vizinho por coincidência. 

    Na semana seguinte eu e o Gustavo (belisquete da Pri) ficamos conversando direto por mensagem na rede social, mas apenas conversas sobre a toa sobre nossas vidas. Eu avisei a Pri que estava fazendo amizade com ele, que achava que com ele seria possível ter uma amizade sem interesse...até que enfim!

    Duas semanas depois da festa, nós conversando no chat...
    " - Pô Déo, estamos enrolando para sair ne??"
    - É verdade ne, temos que marcar!
    " - Pode ser hoje?"
    - Pode, posso convidar a Pri ne?
    " - Não pensei nela, queria sair só com você!"

    (telefone vermelho do batman tocando)

    - Ah...é...ah...tá
    (déo fica offline)

    Depois de uma hora e meia pensando no que fazer decidi avisar a Pri o que tava rolando, afinal de contas podia não ser nada, como podia ser algo...ela me respondeu que era para eu fazer o que eu tivesse com vontade. Entrei no chat novamente e disse:

    - Gu, não vai rolar da gente sair hoje!
    " - Aaaaaa Déo, mancada, por que?"
    - Porque você ficou com a Pri e eu achei que ela fosse, não me sinto confortável de sair com você sem ela, além do mais eu realmente queria ser sua amiga nada mais.
    " - Meu, a gente nem teve nada, só ficamos aquele dia, não tenho nada com ela, ela não é minha namorada...qual o problema?"
    - O problema é que eu não me sinto a vontade de fazer isto...mas a amizade continua.
    " - blz"
    (Gu fica offline)

    Assim que "resolvi" a questão enviei um torpedo pra Pri dizendo que cancelei a saída e que não queria me indispor com ela por isto.


    Andinho Sales
    Meia hora depois...
    " Déo, você é muito cara de pau mesmo ne? Eu já conversei com ele e ele me disse que você é quem dá cima dele há muito tempo e que ele já estava se sentindo mal e que decidiu te pegar. Seja honesta com você e pare de historinhas. Conheço seu tipinho. "

    Ela conhecia ele há duas semanas, me conhece há mais de 10 anos e em uma única noite preferiu acreditar no que ele dizia. Por que? 

    Telefone vermelho do batman tocando novamente!!!!

    Porque nós temos o péssimo hábito de não acreditar naquilo que dói. Seria doloroso demais para ela admitir que o cara que ela passou uma única noite estava interessado por sua amiga, é muito mais fácil acreditar num sujeito que diz que tinha que pegar alguém, porque é macho né, e macho que é macho pega mulher não importa a origem e o destino, do que admitir para si que ele não é o cara. E a nossa sede de encontrar o cara é tão grande que nosso ego não fala, ele grita!!! 
    Se fosse eu no lugar dela? Primeiro avaliaria o cara, porque se ele diz para mim que tinha que pegar a minha amiga para cumprir seu papel, não é um cara que eu quero para mim. E em segundo lugar se é minha amiga, eu não penso meia vez. Acredito nela.

    Fiquei duas horas pensando no assunto. No dia seguinte ela já tinha me deletado de todas as redes sociais. Nunca mais me procurou. Eu não quis me explicar, porque a gente só se explica quando fez algo de errado ou com dúvidas e eu não tinha dúvidas do que tinha feito. 

    Ele por sua vez, continua na minha lista e sempre que pode curte alguma foto minha...

    E eu? 
    Nunca mais pego carona com beliscos alheios!!!!! rs

    14 de nov de 2012

    Déo medo?

    Alguma vez na vida vocês quiseram dizer algo a alguém e não tiveram coragem? Já ficaram na dúvida se o melhor era dizer o que sentia e pensava, mas deixaram passar porque "é claro que ele(a) já entendeu o que eu quis dizer"? Ou então, ficaram esperando pelo momento certo para dizer e nunca encontraram este tal momento?

    Se vocês responderam sim para uma destas perguntas, se aproximem que estamos falando da mesma coisa: medo!

    Por mais que a gente diga que não se incomoda ou não se importa, ouvir um "não" de alguém que a gente sente o tempo todo o coração dizer sim, não é o o que pedimos para nós.

    Eu tenho o péssimo hábito de deixar passar aquele "momento", sabe? 
    Aquele exato momento em que você poderia ter falado aquilo tudo que estava na sua garganta pronto para sair e que você engole porque acha que não é a hora de fazer isto...

    Sou mestre nesta arte!!!
    Consigo arranjar uma desculpa rapidamente para situações de risco..."acho que ele não estava querendo me ouvir, não sei, fiquei com dor de barriga, sei lá"...sempre tenho um plano B que se torna A na hora H. 

    E sabe o que é pior? Depois que passa este "timing" eu chego a conclusão de que aquele era o momento exato e que como deixei passar é melhor "falar agora ou calar para sempre". 

    Aí eu, Deodora Fonseca Mendonça, do nada
    Imagem extraída Cartas de todo dia
     simplesmente "acordo" e acabo despejando verdades e mais verdades depois de muito tempo, que muitas vezes não fazem mais sentido para outra pessoa. Já cheguei a resolver pendências tão bem guardadas que tive que ouvir altas gargalhadas e o sujeito dizendo que eu sou muito hilária e que eu já tinha deixado mais do que claro que a gente se dava melhor como amigos. (eu sempre acho que a pessoa entendeu o que eu quis dizer nas entrelinhas, quando na verdade eu acompanhá-lo naquele jogo de futebol do time do interior dele lá na pqp do mundo, para ele nada mais é que uma agrado de uma amiga...hã? como assim? Agrado?) Estava chovendo horrores e eu estava com um sapato novo lindíssimo que atolou naquele barranco imenso e ele vem falar de amizade??? 

    Claro, você não disse o que queria quando era para dizer, deu nisto!

    Fui procurar a definição de medo no Dicionário Priberam:

    1. Estado emocional resultante da consciência de perigo ou de ameaça, reais, hipotéticos ou imaginários. = FOBIA, PAVOR, TERROR
    2. Ausência de coragem (ex.: medo de atravessar a ponte). = RECEIO, TEMORDESTEMOR, INTREPIDEZ

    3. Preocupação com determinado fato ou com determinada possibilidade (ex.: tenho medo de me atrasar). = APREENSÃO, RECEIO

    4. [Popular]  Alma do outro mundo. = FANTASMA


    Eu tenho medo do não. Tenho medo de ouvir "você entendeu errado, não era nada disto" ou "Déo, você é hilária, é claro que somos melhor como amigos" 

    Mas, levante a mão ai quem sabe lidar com a rejeição...

    O bom é que tudo na vida tem começo, meio e fim ne gente? 
    E eu estou começando um novo ciclo. O ciclo do "fale enquanto é o momento"

    Chega de ficar guardando, tendo dores de gargantas sem motivo!
    Neste meu novo projeto o que eu penso, eu falo.
    Se o outro não vai gostar, não vai entender, vai me dizer não, que diga. Prefiro agora e não depois, enquanto está latente é mais fácil para resolver e tirar da frente. Um ano depois, de que adianta?

    O primeiro "gole" da verdade é mais complicado, você se engasga, pensa que vai sair fácil, mas dá umas travadas. Depois, você começa a sentir o sabor.


    O que não dá mesmo é para ficar esperando o tempo passar enquanto o mundo se movimenta do lado de fora da sua vida!!
     


    Portanto está aberta a temporada: Déo medo? Respira fundo e vai...

    E você já começou este projeto?

    7 de nov de 2012

    Será que é uma boa?


    Pessoal, a história desta semana é da Patricia. 
    Você também pode contar a sua, é só enviar sua história no caiforadeo@gmail.com e contar...

    Ola Déo, meu nome é Patricia, adoro seu blog, adoro ler suas histórias e também das outras leitoras, hoje eu vim contar a minha, de um garoto especial...

    Bom, isso começou em julho de 2010, eu tinha acabado de fazer 16 anos. Um certo dia umas amigas minhas me convidaram para curtir uma balada, lá encontrei um amigo e com ele estava um outro amigo, quando botei os olhos nele achei lindo, fiquei encantada!

    Na hora já começamos a conversar e logo quando percebemos estávamos aos amassos. No final da festa eu já encantada com a beleza daquele garoto, antes da gente se despedir eu peguei o msn e orkut dele, (já que naquela época não tinha facebook) e ele estava usando um boné branco...

    - João, posso ficar com o seu boné? Te devolvo quando a gente se encontrar novamente!
    “ – Ok, Paty, fechado!”

    Assim fui para casa, com um sorriso bobo na cara e acabei dormindo abraçada com o boné. No dia seguinte conversamos por msn e marcamos de nos encontrar. Déo, eu fiquei muito nervosa, mas fingi que estava tudo bem e assim ficamos novamente. Meu coração estava batendo descontroladamente, minha mão suava frio, meu corpo todo tremia e eu sentia que meu rosto corava e meus olhos brilhavam quando eu olhava pra ele.

    Um certo dia ele veio conversar comigo e me disse:

    “ - Paty, eu não moro aqui, eu moro no Rio Grande do Sul, nesse fim de semana estarei voltando pra lá e só retornarei pra cá no fim do ano.”

    Imagina só o estado que eu fiquei, mas mesmo assim me segurei e disse:

    - João, mas você volta pra cá e fica morando por aqui de volta? Eu quero muito ficar perto de você, você me promete que voltas?
    “ – Sim, prometo.”

    Ele voltou pro Rio Grande do Sul e continuamos nos falando por msn, passaram 5 meses, e o que ele me prometeu ele cumpriu, ele voltou, voltou pra mim.

    Quando fui vê-lo, enchemos a cara e nestas ele pediu pra namorar comigo, eu, boba, pensei que ele já estivesse bêbado e não estivesse falando coisa com coisa, simplesmente não respondi, o que o fez pensar que eu não queria.

    Depois daquilo só ficamos nos amassos, nada sério, e o meu amor só aumentava por ele, me doía em saber que ele não era meu, meu namorado. Eu chorava toda vez em que me lembrava da vez em que ele me pediu e eu não respondi, chorava pelo erro, às vezes ainda me pego chorando em lembrar que hoje eu poderia ainda estar namorando com ele, sendo feliz com o garoto que me faz feliz, e que o meu sentimento de amor por ele nasceu e nunca se apagou.

    Imagem extraída do blog Clikaki

    Hoje estou namorando já faz 1 ano e 5 meses, confesso que tenho algumas recaídas ao lembrar dele, pois o sentimento permaneceu, eu ainda tenho contato com o João, ele mora perto da minha casa, mas nunca tive coragem de tentar mais uma vez, me culpo por não ter tido a reação que era pra eu ter tido quando ele me perguntou, mas tento superar.

    Mas me diz Déo, eu fiz errado, eu devo correr atrás, eu devo tentar recuperar esse meu amor, ou devo deixar minha vida tomar um rumo, ver no que vai dar e assim por diante?

    Obrigada Déo, beijos.

    Paty, embora muitos que leem este blog aqui já tenham passado da sua idade e possam achar que isto é "coisa de criança", você tocou num ponto que não tem idade: medo! 
    Todos nós temos medo em nos expor e isto não tem nada a ver com a idade. Exposição para nós pode estar associado a fazer papel de ridícula(o), mas o mais temido é ser rejeitada(o). 
    E isto não tem idade.

    Se eu pudesse te ajudar, falaria a frase mais manjada da terra: siga seu coração, mas não o coração que nos sabota, o coração da verdade. Pense se estar com alguém que você não ama é justo, tanto com você quanto com os outros dois que estão em volta desta história e não tenha medo de se posicionar diante uma situação destas. 
    A vida é sua e só você pode fazer uma escolha.

    Beijão e me conte tudo depois!
    Boa sorte!