27 de jun de 2012

Déo artes dramáticas

Não pensei que fosse fazer isto.
Estava meio sem jeito, meio sem graça achando que seria um E.T
Escolhi uma roupa bonita, uma maquiagem que não parecesse "as preparadas", arrumei meu cabelo para ficar exatamente do jeito que eu gosto, do tipo "não parece que me arrumei", mas está lindo!
E fui
Horário: 21 horas
Resolvi assistir a peça Confissões das mulheres de 30, aliás foi uma situação engraçada porque além de eu querer ir há muito tempo (desde que saiu em cartaz em SP) eu não tinha companhia.

Uma amiga não gosta de teatro, a outra mora em Santos, a outra estava com o namorado, a outra não sabia se queria, a outra queria ir, mas não dava para ser no mês que eu queria ir, não tinha no momento um belisco para convidar, enfim, fui sozinha ao teatro.
Primeiro ponto – chegar ao teatro. 
Sou o tipo de pessoa que consegue se perder no próprio bairro mesmo com o Fábio.
Não, o Fábio não é um homem é um GPS que eu dei o nome carinhosamente de Fábio.
Fui eu e Fábio ao teatro…mas ele não entrou, ficou no carro. 
Obviamente que me perdi pra chegar mesmo porque Fábio me enganou e disse que eu tinha chegado ao local e não era o local. Pedi informação como antigamente num posto de gasolina o que deu mais certo!
Descobri que você chama muito mais atenção quando está sozinha do que quando você está com namorado ou amigas (mesmo quando uma de suas amigas é uma baita gostosona)
Eu fui a sensação do teatro. 
Eu sentia aqueles olhares do tipo “o que esta mulher está fazendo sozinha aqui?” (estes eram os olhares das mulheres acompanhadas de homens…) já os homens acompanhados de mulheres me encararam a beça, fora de brincadeira!
Além disto, pelo fato de só ir eu, consegui sentar na primeira fileira! 
Sim!!!!! Camarote bem...
A peça fala exatamente de tudo aquilo que nós sentimos quando estamos na fase dos 30, é o mundo do agora ou nunca, tudo é questionado no "agora ou nunca" 
Me encontrei em diversas cenas, ri e me emocionei ao final quando falaram sobre mães...

Embora eu tenha ficado sem graça, me achando o próprio holofote descobri que respeito é isto: fazer o que se quer respeitando a sua vontade e não se importando se alguém está vendo.
A melhor opção é aquela que te faz bem...o que a sociedade define como correto, pode ser para a maioria, mas não para você.
Não tinha opção melhor: esta peça de teatro e a minha independência
Retirado do site Jornal do Brás

20 de jun de 2012

Tira, põe, deixa ficar...

Você tem uma história divertida para contar?
Mande sua história no caiforadeo@gmail.com que eu conto!
Hoje a história da Isabel, leitora assídua do blog!


Déozinha sua linda!
Nem só de frustrações vive Isabel.
Passei por muitas e ainda tenho passado, mas por estes dias ganhei um presente! E que presente!
Fazia mais de 1 mês que eu e muitos amigos estávamos esperando pela fatídica noite, tínhamos marcado uma balada imperdível e eu corria o risco de encontrar meu ex lá.

Não é um ex qualquer tipo meia boca, na verdade era um ex noivo de 6 anos de relacionamento com direito a vínculo eterno (filho) e tudo. Pacote completo! 
Já estava me preparando para todos os sintomas que você mencionou neste texto aqui. Resumidamente eu tomei um chifre do bonito naquela época e ele está com a dita até hoje.
Sai do trabalho às 18:00 em ponto, atravessei a cidade no maior trânsito, cheguei em casa em cima da hora para me arrumar e sair as 22:00hrs: banho, cabelo, maquiagem, vestidinho. (mentira, não foi rápido assim, foram uns 35 vestidinhos...)

Fui! E fui maravilhosa! Não faço o tipo MULHERÃO, mas chamo a atenção por alguns traços fortes que possuo. (prefiro não comentar)
Enfim, esquentinha na porta da balada, cervejinha, vodiquinha, galerinha, coração na boca, mãos geladas, etc quando de longe eu vejo el. O nosso radar é fogo para localizar ex-beliscos importantes!
Cutuquei minha amiga e disse: O Gui esta aqui.

Achei que eu fosse morrer, ter frio na barriga, quase fui de fralda. 
Sabe o que eu senti? NADA.
Juro, nadica de nada, ver meu ex com a namorada foi como ver padeiro me entregar o pão na padaria. Normal.
Imagem retirada do Blog Taipan domesticada

Ele me disse: "Oi tudo bem?"
Sorri e disse:  Tudo e você? 
Na cara da dita nem olhei né. Num ia dar chance.

Mas não tinha acabado ainda. 
Fomos para a fila: Meninas de um lado – meninos do outro.
E ela bem na minha frente.
Ai eu reparei!

Olhei meeesssssmo!

Se eu soubesse que a troca era essa, teria economizado rios de lágrimas!

Menina feia, sem postura, vulgar, mal vestida. 
Decote nas costas + sutian aparecendo = OVER.
Eu não sou mala! Juro. Sei reconhecer uma mulher bonita.
Mas ali nada salvava.
No começo da noite com o cabelo escovado estava até apresentável, mas na metade da nigth desmontada pensei: Que troca em hein bebê? Quem perdeu foi você!

Algumas mulheres podem achar pior perder para uma mal acabada, mas eu não acho. 
E quer saber? Ele agora tem o que realmente merece!

E me diverti muito!

Eu não vi, mas minhas amigas disseram que os 2 não tiravam os olhos de mim...feio eu não fiz, já eles...


Isabel, Deodorense querida...sei que na vida certas situações são realmente complicadas. Te achei madura, firme e segura. É isso ai, quem te fez chorar agora pode estar é chorando por ver o que perdeu. Ou não. Pode estar simplesmente vivendo a vida dele, o importante é que você superou e ficou com a melhor parte dele: um filho!!!!
Bjs da Déo!

12 de jun de 2012

Dia não definido

Vocês estão esperando algum texto meu do dia dos namorados por conta da data?

Sou contra datas definidas para alguma coisa: dia dos pais, das mães, das crianças, da sogra, do avô, da avó, da páscoa, da árvore, do índio, enfim, não curto muito as datas pré-definidas!

Amo meus pais, meus avós, meus tios, tias, crianças da família etc...em qualquer dia do ano. Eles estando entre nós ou já tendo partido. 
Acho que os aniversários também não deveriam ser comemorados em suas datas. Eu só ganho presente no meu aniversário. Não ganho dengo fora desta data...cade o inesperado?

As mulheres em status "namorando" podem pensar: "Ai Déo, como você é descrente e carente", as "solteiras" podem até concordar, mas isto realmente é o que eu penso. Os homens? Não sei o que pensam sobre esta data, até gostaria que eles comentassem sobre isto.

Se sou romântica?
Sou. Adoro surpresa, adoro o inesperado, adoro o que me pega completamente desprevenida! 
Imagem retirada do blog UP - Universo Praia

Sou mega criativa, tenho ideias a rodo para ultilizar, independente se são namorados, amigos, irmãos. 
Acho que a grande data especial é aquela que a gente faz ser especial.
Não é um dia único no calendário que vai mudar seu comportamento em relação ao seu pai, a sua mãe, ao seu namorado ou qualquer outra pessoa é a construção no dia-a-dia.

Agora, para aquelas pessoas que ficam tristes em não ter alguém para esta data, aproveitem para dar um presentão para a pessoa mais importante da sua vida: você mesmo!  

Aproveite e seja feliz!

5 de jun de 2012

Você é solteira..."uhuuu"

Sim, eu sou solteira.
Prefiro dizer que estou temporariamente solteira.
Às vezes porque eu quero, às vezes porque eles não querem e às vezes por que não aconteceu.

Você não é casada!!! Que maravilha!!!!
Aham, eu não sou casada.

E além de tudo não tem filhos para cuidar...pessoa de sorte você!
É....

Eu não entendo a relação que as pessoas fazem com ser solteira e ser feliz, viver de festas, baladas, sexo, bebidas, azaração, irresponsabilidade e "uhuuu"

Em qual parte do contrato da vida que está escrito que quem é solteira, não tem filhos e marido para cuidar é feliz e não tem se quer tempo para problemas, já que a vida é bem animada e cheia de compromissos sociais...

" Se eu fosse igual você com certeza eu faria isto, isto, isto e isto...mas eu não posso porque eu tenho obrigações "

Porque para ajudar além de eu ser solteira, eu moro sozinha...

" Ela é livre para fazer o que quer, pode deixar a casa uma zona, não precisa cozinhar, não tem que fazer nada que ela não queira, pode encher a cara e dançar nua na sala, enfim pode fazer o que quiser e não fazer o que não quiser...Pode chamar qualquer pessoa pra ir a sua casa porque a casa é somente sua. E se alguém se incomodar os incomodados que se mudem..."

Qualquer pessoa pode fazer o que quiser e o que não quiser, não é o protocolo solteira que permite isto. Você pode deixar sua casa uma zona também, você pode não cozinhar para ninguém, convidar quem quiser para te visitar e até dançar nua na sala, não é o fato de ser solteira é o fato de ser livre. Livre dos seus pensamentos e dos pensamentos da sociedade. 
Você é casada e tem filhos por que escolheu tê-los e pode conciliar as suas saídas românticas com seu maridão, uma baladinha para encontrar os amigos, um jantar com os casais amigos também, o que te falta não é solteirice é vontade.

Não estou aqui para colocar uma divisão entre a ala "das solteiras felizes" e a ala "das casadas sem tempo para elas" existe a vontade de qualquer uma das duas em fazer diferente.
Nem acho que todas as casadas pensam assim, estou me baseando nas situações que acontecem ao meu redor, aos comentários que eu ouço.

Imagem retirada do site Hashtag Camisetas
Eu sou solteira, moro sozinha, pago minhas contas sozinha (sem dividir por dois), dependo muito mais do meu emprego do que se dividisse meus gastos por dois, pago impostos igualmente, não tenho fila preferencial em bancos, shows, hospitais ou qualquer outro lugar com a plaquinha "espaço reservado para as solteiras", quando estou carente ninguém vem me fazer cafuné ou buscar um copo de água na cozinha, nas férias é um parto para conseguir locais mais baratos porque os pacotes para dois são bem mais baratos do que para um, quando dá um problema no flat não posso pedir para alguém resolver para mim porque só eu resolvo, se quebra um cano em casa (e eu não tenho a menor ideia de como arrumá-lo) eu fico à disposição de qualquer terceirizado que só pelo fato de ver que sou mulher e moro sozinha metem a faca no conserto, enfim, posso listar uma infinidade de prós e contras desta vida de solteira "uhuuu".

Eu nao dependo de alguém, minhas decisões são 100% minhas, mas isto não faz de mim mais feliz ou menos feliz...

O que nos faz ou não nos faz felizes são nossas escolhas e apenas elas...