27 de jul de 2012

Perdi meu amor

Esteve rolando por algumas semanas um vídeo intitulado "Perdi meu amor na balada"...é a história de um sujeito na faixa dos 30 anos, bonitão, bem arrumado, que sabe se expressar muito bem e que neste depoimento diz que conheceu na balada uma mulher linda chamada Fernanda, ficaram ele anotou o telefone dela no papel só que perdeu o papel e sendo assim, ele perdeu o contato e ficou desesperado atrás dela.

Depois deste vídeo ele fez outro como se tivessem avisado a ele que encontraram a tal da Fernanda e a suspeita era ela trabalhar numa loja na Oscar Freire. Ele vai até a loja com flores. Há um equívoco, ela não trabalhava onde ele foi e ele sai deprimido e revoltado...

Por fim, surge o filme contando a história toda e apresentação do produto em questão, um novo celular!

O ponto que eu me atentei não chega no produto e sim nesta iniciativa se ela fosse real.

O vídeo foi visto por milhares de pessoas, a maioria mulheres e homens românticos dando força para a iniciativa, desejando sorte para a busca de seu grande amor...

Alguns poucos tiraram sarro, falaram que ele era bobo por ter se apaixonado logo de cara e tal, mas o que importa é: as pessoas acreditaram nisto!!!!!

Acreditaram ser possível um cara apaixonado se expor na net para dizer que estava procurando desesperadamente seu amor.

Amor!!!!



Na era do amor líquido, onde as pessoas cada dia mais estão buscando velocidade em tudo, seja nas notícias, nas tecnologias, nas relações que são menos românticas e muito fugazes, há uma comoção diante desta situação.

Se isto encorajasse as pessoas a admitirem o que sentem umas pelas outras, seria bem legal.
Já pensou se a moda pega?

Quantas vezes me deu vontade de sair procurando aquele cara super divertido, que dá liga, lindo?

Por que há esta ausência de coragem nos dias de hoje?
Eu sou a favor desta iniciativa, mas não como um marketing viral e sim sendo realmente uma vontade...
 
Aproveitando, Danilo se você se deparar com este post no mundo virtual...nos conhecemos no feriado de Corpus Christi numa baladinha perto da sua casa...você pegou meu telefone, mas se assustou quando eu disse a minha idade...só porque você é novinho!    :(
 

17 de jul de 2012

Tchau xenical...


Este espaço é feito para você. 

É só mandar a sua história no caiforadeo@gmail.com que eu conto!
Esta é a história do Undívago, leitor e comentador assíduo do blog...
 


Oi Déo
Bueno, tanto tu me pediu que resolvi criar vergonha nas fuças e te escrever algumas linhas. 
Conheci a loirinha Dani, um anjinho doce, dos cabelos cor de ouro, curtinhos acima do pescoço. Meiga, ternura de menina num... CORPAÇO DE MULHER! 1,68m de formosura, beleza e perfeição nos detalhes! Altamente vaidosa, sempre preocupada com as medidas, formas, curvas e seu peso. Tudo em vão, ela era impecável!
Irmã de um amigo, fomos apresentados num passeio de fim de semana pela região.  Trocamos telefones nesse dia. E tímido que sou, não liguei. Ela ligou, congelei! Saímos algumas vezes, cinema, barzinho aqui e ali... E eu nada, travado! Parecia areia demais pro meu caminhão! Ela deliciosa, toda na fita métrica, padrão mulher de academia! Isso mesmo! Rata de academia, marombeira frenética! Me dei bem!
 
Como não conhecia ainda o tipo, e o moral da tropa andava meio em baixa naquela época, resolvi pagar pra ver! Eu vinha de um divórcio e precisava me recompor socialmente! A rapaziada apoiando e me jogando pra cima dela, naqueles: “Aê, em Undívago! Vai pegar a Dani, mulherãooooo!!” E eu me borrando de medo! Num fatídico aniversário de um amigo desse grupo, fomos nós. Ela me liga e oferece carona, eu sem carro (pois minha ex- levou até a flanelinha do porta luvas!) aceitei e fui.
 
Chegando na festa, como entramos juntos, já foi um: “Uooooooooooouuuuuuuuuuu!!! Aêêêêêêêêê Undivagão!!!” Já vi que não passaria daquele dia. E não passou! Entre umas garrafas de vinho e outras de vodka, me rendi a aquele pedacinho de mau caminho! Ficamos! Primeira noite, pra casa dela. Eu já meio bebum e ela alegrinha, nos agarramos no sofá... Pega daqui, puxa dali, mão por baixo da blusa e ela encolhe a barriga! (Opa! Estranho, pois ela não tinha barriga nenhuma! Ok, deixei passar...)
 
Próxima saída, barzim! Chegando lá vejo ela tomar um remedinho. Perguntei o que era e ela desconversou. Bebemos, comemos e num determinado momento...

“ -VAMOS EMBORA AGORA IMEDIATAMENTE! JÁ!” 

Não entendi, mas partimos pra casa dela. Chegando lá ela correu pro banheiro e...Xazammmmm! Eu achei que fosse um normal desagregado intestinal. Só que esse ritual de barzim, almoço fora, jantar e correr pra casa pra um download pesado, foi se repetindo algumas boas vezes! Anotei e guardei.
 
Outra curiosidade: ela “se idolatrava” no espelho mais que o normal! Fosse o do teto do motel, do banheiro ou até o espelhinho da bolsa, ela tava lá sempre conferindo as medidas! Ou de uma simples vitrine, freneticamente se arrumando (e sempre causando alvoroço por onde passasse). Bem, anotei isso e guardei de novo, o caderninho já estava ficando lotado de esquisitices...
 
Certa vez saímos, aquelas idas de barzinho, boate pra dançar, bebe daqui, belisca dali, comer pra não ficar doido logo e havia notado o tal remedinho pra dentro momentos antes de chegarmos no local. Noite vai, noite vem, dança grudado, agarro, amasso e motel! 
Chegando lá, um tal de arranca roupa, beija, esfrega, aperta e morde e... BRRRUM! Ouvi um barulho! No instante achei que era meu estômago roncando... Bueno, tá tranquilo, voltamos pras atividades, mas a notei suar na testa. 

Dali a pouco, outro: PRRRRRRRMMMM! Quase um estrondo e ela arregaçou os olhos!!! Vi que o negócio tinha ficado estranho! Ela pálida, branca e quase imóvel esboçou um movimento de retirada e... PRRRRRRFFFFFFFFF!!! 
Morreu pelo fundo igual rede velha deixando um rastro da cama até o banheiro! Fim de festa, perda total no quarto do motel... 

A noite terminou com um desabafo que ecoou pelo quarto, vindo do fundo do banheiro, debaixo do chuveiro entre soluços e praguejadas:
 
“- MALDITO XENICAAAAAAAAAAAAAAAALLLL!!!”

Um determinado dia a chamei pra um papo em Ipanema, água de coco, pôr do sol,  praia linda, que saudade, te adoro, pá daqui, pá dali e coisa e tal, mas... 

Ilustração extraída do Blog Blue ensaios femininos
Despachei a oferenda pro mar!!! Adiós, vai tarde! 
Homens, cuidado! 
Xenical é coisa do diabo!"
 
Então, era isto...Adoro te ler e espero que goste.
Beijão,
The Undívago Man...

Undívagooooo...tudo a ver com o texto da semana passada hein?
Não preciso dizer que chorei de rir, não pela situação constrangedora, mas porque você escreve de uma forma que eu consigo me imaginar assistindo a cena...
E se for dar mais uma chance para ela, apresenta outros tipos de remédio, quem sabe ela troca de opção...
Bjs da Déo

12 de jul de 2012

Déo peso a mais!

Esta semana não consigo falar de outro tema, embora houvesse vários outros assuntos para falar, este foi o top five da semana...

Paty, minha amiga magra, ou melhor, corpo perfeito:

" - Déo, fui fazer o exame médico na academia e fiquei sabendo que mulher pode ter até 25% de gordura no corpo, ou seja é aceitável até 25% e sabe quanto eu estou????????????"
- Não Paty, quanto?
" - Eu estou com 32%, 32%!!!!!!!!!!!!!!! Preciso perder 6 kg de gordura.
- Sei...e estes 32% devem estar no seu pé né?
" - É sério Déo"
- E vai malhar muito agora?
" - É o único jeito de eliminar estes 6 quilos"
- Só que você tem que se lembrar que gordura é mais leve que massa muscular...você pode até estar mais pesada, porém mais saudável porque gordura pesa muito menos.
" - Ah não...nada disto, quero pesar menos, nada de ficar com o mesmo peso e ter a massa magra...quero ser a própria magra..."

Melina, outra beldade, confundida na rua com modelo, já chamada várias vezes por olheiros para ser modelo e tal...

" - Déo, eu cheguei a uma conclusão... a gente só emagrece tomando remédio ou se dormir e acordar fazendo ginástica...eu emagreci tomando remédio a três anos voltei tudo agora...sempre esses 4 kilos que a gente sempre tem que perder" 
- A Milena relaxa, você engordar 4 quilos sempre semi-modelo não se compara comigo sendo simples mortal...mas também queria ter o peso que eu tenho quando eu acordo, mas chega no final da tarde e adivinha???? Parece que uma bola incorporou na minha barriga tipo "alien" e nunca mais saiu.
" - E o detalhe que eu nem cheguei aos 30 Déo!!!!!!"
- Se prepare, como dizem uns amigos meus..."o pior está por vir"
" Ai Déo nem brincaaaaaaaaa eu ainda não tenho filhos!!!"
- Relaxe...existe lipo para isto.


Isto não acontece só com a Paty e a Milena. Acontece com todas as mulheres.
Se você pesa meio quilo a mais "estou gorda"
Se você não consegue entrar naquela calça que você usava aos 18 anos "estou gorda" e detalhe que quando você tinha 18 anos aquela calça era a sua calça de gorda!

Se você come feito uma louca no almoço a noite se engana dizendo que não comer ou tomar uma sopinha leve a noite resolve. Não, não resolve. Só resolve com uma reeducação alimentar e muita disciplina. Em último caso naquelas dietas doidas que fazem você viver de água com sal por alguns dias, depois um ovo cozido e por ai vai...remédios também resolvem, mas eu só conheço caso de quem emagreceu e depois ganhou tudo de novo, então não entrei ainda nesta...acho que não vou entrar a menos que seja desespero de causa!

O peso e a mulher são dois itens que discutem há anos...
Eu lembro que aos meus 18 anos eu tinha aproximadamente 8 quilos a menos do que tenho hoje e me achava completamente fora do peso.

Hoje eu me acho mulherão!
As calças realmente deixam umas bordinhas recheadas nas laterais, nem toda blusa realmente me cai bem, prefiro as roupas mais largas tipo batas, camisões e camisetões, mas quando me olho no espelho penso: hmmmm hoje eu sou muito mais mulher do que há 8 quilos atrás...

E por conta disto, por perceber que meus quilos a mais me trouxeram sabedorias a mais também, que parei da noia de querer ter o peso dos meus 18 anos. Hoje me limito apenas em caber nas calças atuais e não naquelas calças de anos atrás...