26 de set de 2012

E se eu...

A seção Conta pra mim, Déo é feita por vocês!
Mande sua história no caiforadeo@gmail.com que eu conto...
Esta semana a história é curta porém muito curiosa...Conta pra mim, Vanessa...qual é a sua história?

Oi Deo querida!

Adoro seu blog! Conheci a pouco tempo, mas adorei. Tenho várias histórias que variam de engraçadas a completamente bizarras, e hoje vou contar uma delas...
Imagem extraída do site Dicas de dança

Eu namorei por longos 5 anos. Ao fim desse período o namoro estava completamente desgastado e a gente se mantinha junto mais por medo e insegurança do que qualquer outra coisa. Um dia perdi a paciência, chutei o balde e terminei o namoro! 
Sim fiz isto com medo, mas fui curtir minha vida de solteira, coisa que nunca tinha feito. Mesmo porque esse meu ex havia sido o meu primeiro (e único!) namorado.

Para comemorar a recente "solteirice" fui em uma festa com algumas amigas. 
Bebi loucamente e nem conseguia saber o nome da banda. 
Já estava rolando o segundo show quando um carinha bonitinho chegou perto de mim e perguntou se eu estava gostando da festa. Comentei que a primeira banda havia sido bem melhor e ele me agradeceu, pois ele tocava na banda. Eu, que já tava pra lá de Bagdá, comecei a rir e disse que não era ele o moço que eu tinha visto no palco. E ele insistindo que era ele, sim!
Nessa insistência toda, ele também insistia pra me beijar também! 
Para resolver a situação, disse que era pra ele fazer uma serenata na minha casa. Se ele fosse, eu acreditava que ele era cantor e dava o bendito beijo nele. Disse o meu endereço pra ele lá no meio da festa e da muvuca e fui embora.
Não é que no outro dia eu estou sossegadinha na minha casa quando ouço alguém cantando? 
E não é que era o meu cantor misterioso? 
Não deu outra, né Deo? Fiquei apaixonadinha e nós ficamos. Depois disso ele me procurou várias vezes. Sempre muito atencioso, me convidava pra ir em todos os seus shows. E eu nunca ia. Fui me afastando dele porque achava que talvez ainda sentisse algo pelo meu ex. 
Acabei voltando com ex, não deu certo, e eu me apaixonei por uma terceira pessoa que nem tinha entrado na história. Mas as vezes me pego pensando... 
E se eu tivesse dado uma chance pro cantor?
Imagem extraída do site Smart Kids

Van, Achei propício contar a sua história esta semana por dois motivos: dia 27 de setembro é Dia do Cantor e porque eles são meu calo!!!!

Cantores são muito bons em duas situações: na cama e no palco! 
Fora isto eles tendem a ser uns fofos com você e com todas que estiveram presentes no último show do U2 no Brasil...

Por que eu digo isto? 
Porque eu nunca Déosisto e porque depois disto Déo repassa!!

Milagres acontecem, mas até onde eu conheço, Cai fora Van!!

Bjs da Déo

19 de set de 2012

Déosconectada...

A forma como eu conheci ele não é tão relevante...
Não é relevante porque não muda a história, mas como não escondo nada de vocês: conheci num chat!

A conversa fluiu porque tanto eu como ele trabalhamos com a mesma coisa. Entendemos do mesmo mercado, passamos pelos mesmos problemas, temos amigos em comum e temos o mesmo senso de humor!

Além da risada solta e alegre que acontecia espontaneamente o sujeito era boa pinta...(sim do chat fomos para um lugar mais reservado - mensagem instantânea). 

* pausa - Vinícius é um cara bonito, entende da minha profissão e tem senso de humor.... hmmm tô gostando desta vez de brincar com internet!

Conversamos a tarde inteira...no dia seguinte conversamos mais um monte...até ele comentar que nunca tinha conhecido ninguém de chat e que quando ia acontecer isto ele começou a namorar. Foi a deixa:

- E desde quando você está solteiro?
" - Na verdade Déo eu não estou solteiro, eu namoro!"
- E por que você não falou nada para mim?
" - Porque gostei de falar com você e percebi que se eu falasse isto, você não falaria mais comigo"
Nick do messenger - Vinícius
 

Conversamos por mais uns 6 meses. Batendo papo normalmente, contando sobre nossas vidas, mas sem nos conhecermos. 
Chegamos a conclusão de que não seria uma boa a gente se conhecer porque sentíamos uma atração forte e poderia rolar algo entren nós e pasmem: ele era fiel. Juro. O sujeito era fiel. E eu que não curto me enrolar com caras com namoradas, respeitei a situação. 

Eu não estava querendo entrar numa destas para brincar...e o cara era de fato meu número!!!

Ficamos um tempo sem nos falar, até que um dia...
" - Déo, até que enfim você está online! Tenho uma novidade, estou solteiro!"
- O que??? Solteiro???
" - Sim!!! Quando vamos nos encontrar?"
Nick do messenger - Vinícius...uhuuu

Na semana seguinte marcamos de nos ver, aliás, ele decidiu me encontrar em casa (como eu tinha amigos em comum com ele, já sabia quem ele era e que era de boa, meu flat foi uma ótima ideia...)
A princípio meio tímido, mas em poucas taças de vinho já estava tudo praticamente familiar...a atração que tínhamos virtual era muito real. Não demorou muito tempo para estarmos juntinhos como casal apaixonado. Demos muitas risadas, falamos sobre assuntos do trabalho, reclamamos de chefes, diretorias e afins, combinamos uma viagem para o mês seguinte, bebemos beijos, beijamos taças, rimos vinho! Uma delícia.

E ele que vinha só para fazer uma visita breve, foi embora de casa umas 3 da manhã...eu, que tinha que acordar as 6 da manhã quase não dormi. Haja pó, base, blush, retoque, massa corrida e afins...

Uma semana de torpedos no celular para mim, umas perguntas nada a ver típicas de quem quer puxar papo, uns conversinhas nas mensagens instantâneas e de repente, uma sumida básica.

Algumas semanas em silêncio...até reaparecer e conversar quase nada, aquele quase monólogo! Só que eu passei do tempo de ficar guardando o que penso e resolvi falar o que eu achei sobre nosso encontro...

- Sabe Vi, eu queria te dizer que foi bem legal o lance da gente aquele dia. Você é um cara que combina em vários "sentidos" comigo, temos que combinar uma próxima  :)
" - Pô Déo, que legal ouvir isto de você. 
Você é maravilhosa, inteligente, linda, divertida, uma mulher e tanto, nossa química é animal, mas sabe estamos em momentos diferentes, não quero me envolver agora...quero aproveitar a minha vida!"
...
Nick do messenger - Vinícius...solteiroooooo ;)

Depois desta entendi que ele estava num momento "uhuu" dele e eu deveria tirar meu time de campo. Continuamos a conversar, bem menos do que antes.

Um mês depois 
Nick do messenger - Tuca

Olhei aquele nick e pensei...hmmmmm será que é a ex?
Não disse nada e fui deixando...nunca mais me chamou para conversar...e era sempre ele quem me chamava.
Um belo dia decidi perguntar o que estava pegando...

" - Oi Déo, tudo bem? Pô meu, você não vai acreditar, estou apaixonado por uma mulher que mora na Espanha. O nome dela é Tatiana, mas eu apelidei ela de Tuca! A gente vai se conhecer em setembro porque eu vou visitá-la."
- O destino brincou com você né... - e comigo também, mas não quis falar.
" - Pois é né Déo, logo eu...mas to super feliz"
- ...felicidades ao casal! 

Tem certas horas que você realmente não tem o que falar, o melhor é fingir que não foi com você e que aquilo foi apenas uma fase, ou se preferir umas fezes...

12 de set de 2012

Um estranho folgadinho

Você tem alguma história engraçada, curiosa ou estranha para contar?
Mande no caiforadeo@gmail.com que eu conto. 
Hoje a história é da Kelly!

Oi Déo, tudo bem? Meu nome é Kelly e eu adoro seu blog.
Resolvi compartilhar uma história que não é divertida e nem tem um final feliz, mas para as leitoras e os leitores do seu blog verem como nós mulheres temos o coração bom... :)
Foi em 2008, tinha acabado de romper um noivado de 2 anos e estava voltando a sair com os velhos amigos.
Em um belo sábado, um amigo me liga falando que passaria em casa para irmos a um churrasco. Como recém-solteira, não pude deixar passar em branco embora sem nenhuma vontade de ficar com alguém, assim que desliguei o telefone corri fazer tudo aquilo que uma mulher faz quando sabe que tem um compromisso: pensar na roupa, no sapato, arrumar o cabelo, fazer as unhas, escolher a bijoux etc...

Chegamos lá várias delas (99%) eu já conhecia (ainda bem...). A única pessoa no qual eu não conhecia era um rapaz que ao bater olho achei estranho (fisicamente).
Entre jogos de sinuca, bebidas e conversas, meu amigo me puxa em um canto e disse que esse tal homem estranho se interessou por mim. Eu ri, afinal, não queria me envolver com ninguém, muito menos ter beliscos estranhos...haha
Pois bem, nada aconteceu até que, na hora de ir embora, todos entraram em seus respectivos carros e meu grande amigo da carona foi o primeiro a sair me deixando sozinha com quem? Sim, com o estranho.
Imagem retirada do Blog Uma nova história

Como eu não tive saída aceitei a carona dele... 
Conversa vai, conversa vem, digamos que o meu conceito de estranho mudou bastante e não resisti, a carência falou mais alto... beijei o belisco estranho que não era mais estranho.



Pois bem... Não trocamos telefone, e-mail, Orkut (naquela época orkut era moda), nada. Porém, todos os lugares que eu ia com meus amigos, ele estava lá... e eu sempre acabava a noite com ele.
Eis que um dia uma amiga me chama para ver a banda do namorado dela tocar em uma “balada” que só vão casais. Aceitei e chamei esse meu amigo para entrar comigo. Ele aceitou mas disse que ia levar a belisca dele. Logo, pedi o celular do belisco estranho e o convidei. Ele aceitou e fomos para a tal baladinha de casais com meu carro.

Chegando lá tudo lindo, tudo legal. Até que resolvi ir ao banheiro. Ao voltar dei de cara com o cara beijando outra menina. Lógico que fiquei sem reação e meus amigos tentaram “baixar a poeira”. Mas eu não sou nada tolerante e decidi ir embora, porque não queria ficar lá vendo aquela cena. Não por recalque, mas por respeito. Ele tinha aceitado ir comigo, o mínimo que ele tinha que fazer era me respeitar, não é?

Pois bem, peguei minhas coisas e saí atropelando esse casal. Meus amigos vieram atrás, pois não tinham como vir embora. Eis que surge uma dúvida: Será que ele tem como ir embora?

Não pensei duas vezes ao responder que ele que pegasse carona com a menina que ele estava. E fui embora. Chegando em casa, celular toca. Adivinha quem era?

Sim, o próprio perguntando onde eu estava, que se perdeu de mim e todo mundo tinha ido embora da festa e ele estava sozinho. Eu disse que já estava em casa, que era para se virar.

Depois de alguns minutos meu nobre coração falou mais alto e decidi ir buscar o menino. 

Ele já tinha andando uns bons quilômetros, quando parei o carro e falei para ele entrar. Ele deu um showzinho dizendo que não precisava, que pisei na bola, até que ele viu que eu estava perdendo a paciência e entrou. 

Durante o caminho nem preciso dizer que o silêncio dominou. Deixei-o na casa dele, ele me pediu desculpas e fui revê-lo apenas mês passado, pois está para se casar com uma amiga minha.

É Déo... esses beliscos dão trabalho.
Um beijo.

Kelly, não se preocupe, tá com sua vaga no céu garantida!!!
Solidariedade demais!!!!

Bjs da Déo

5 de set de 2012

A culpa é minha?

Semana passada estava almoçando sentada ao lado de duas mulheres na faixa dos seus 30 anos...
" - Gisele, te contei do Cleber?"
" - Não Pri. Não comentou nada..."
" - Menina você não sabe!! O Cleber estava saindo comigo todo apaixonado, vivia no meu pé, dizia que queria um relacionamento sério, já tinha me apresentado para os pais, me chamava de namorada e tudo mais, você lembra disto ne?"
" - Lembro sim!"
" - Ele entrou no meu face, gostou de uma amiga minha, pediu para ser amigo, ela aceitou e começou a conversar com ele por face...só que ela é muuuuuuuuito minha amiga e comentou comigo sobre todos os passos. Eles começaram a conversar e ela me colava toda a conversa e eu ia orientando o que ela deveria falar. 
Em primeiro aquele papinho de sempre. Disse ela é linda, interessante e tal, depois ela foi dando corda até chegar no ponto dele falar - vamos sair?. Ela concordou, marcou um local e quando ele foi pedir o telefone celular dela ela disse a ele que não era qualquer uma, que era minha amiga e que sabia do relacionamento da gente."
" - Afffff Pri e ai? O que aconteceu depois?" 
" - Bom Gi, ele ficou offline na hora e depois de um tempo me ligou convidando para sair. Eu falei que já sabia do convite dele para a Roberta e que eu não era nem segunda, nem terceira e nem quarta opção! Você acredita que ele teve a capacidade de dizer que ele estava jogando com ela só para ver qual era a dela? E que eu estraguei tudo?"
" - Que cara de pau este Cleber hein... e agora, como está?"
- Não está ne, mandei ele correr, ele pensa que pode enganar todo mundo ao mesmo tempo? 
" - Ainda bem ne amiga, porque pelo que você falava, ele é meio desprovido de beleza e não é tão bom assim de cama, rs" 
- Ah, mas ele era tão fofo, será que fiz mal?

Eu me levantei da mesa ao lado porque meu sanduiche natural já havia terminado há muito tempo, mas claro que fiquei pensando nisto.

Cena constante e típica: o homem pisa na bola. A mulher fica magoada e brava. O homem joga a culpa na mulher. A mulher se sente culpada e automaticamente começa a achar que não, ele não tem tanta culpa assim... foi apenas um momento de fraqueza. 
O homem não quer mais saber da fracote e desaparece como num passe de mágica. A mulher sofre por tempos graças ao ocorrido se achando a culpada.

Foto extraída do blog Arrazoar




Eu já contei uma história semelhante aqui!

E o final costuma ser sempre igual, a gente se sentindo culpada. 
Este é o tal do lado sensível da mulher? Cade o lado razão? 
Por que ainda é difícil para mulher dizer adeus? 

Colocar ponto final no relacionamento pra lá do que enrolado causa o que em você?