31 de out de 2012

Se fosse homem...

A Livia é aquela pessoa que todo mundo gosta.
Ela é descolada, totalmente independente, super divertida, mega animada, sai de segunda a segunda e tem uma profissão extremamente difícil na minha opinião: cirurgiã buco-maxilo-facial (soletradamente para ficar mais fácil de entender o nome rs) de um hospital bem famoso na região onde moro.

Acho que por isto que ela é tão doidinha, para aguentar esta profissão.
Nos conhecemos na faculdade, num barzinho da esquina...aqueles típicos bares de esquina que toda faculdade tem, ela bebendo tequila e descendo até o chão e eu numa humilde cerveja rs...

Ela é super espontânea, divertida, mas nunca, nunca encontrei ela com nenhum cara. Eu sempre enrolada com alguém e ela sem ficar com belisco nenhum. Nas baladas a mesma coisa: os caras vinham conversar com ela, ela conversava, pegava telefone, virava amiga, mas nada de beijo. Ela dizia que nasceu para ser livre, nada de pessoas ou coisas prendendo. 

Depois de algum tempo a nossa amizade mudou de estágio, já estava na parte da confidência, dos segredos mais secretos, das coisas que tínhamos medo e ela me revelou:

" - Estou apaixonada por alguém!"
- Ah Lívia, para vai, você nunca tá apaixonada por ninguém.
" - Mas agora eu to e é muito verdade. Sinto meu coração mudar de lugar só quando falo com esta pessoa, ela sabe da minha vida inteira e me entende como ninguém."
- Poxaaaaa e como eu nunca soube? É mentira!! Não tem ninguém não, a gente não se desgruda nenhum momento e você nem tem como me provar do contrário.
" - Tenho sim!"

E veio em minha direção...em segundos ela conseguiu um selinho meu e automaticamente eu virei o rosto e a empurrei para longe de mim...
Foi a única reação que eu tive! Ela, mega sem graça abaixou seu rosto e me pediu com os olhos cheios de lágrima um "desculpa" meio sem graça também.

- Tá, a gente ve isto depois, eu to indo embora Lívia...

Fiquei dias e mais dias em estado "parede branca de hotel", fiquei com vergonha do que tinha feito e ao mesmo tempo me sentindo uma tonta - como eu nao tinha percebido isto antes???
Logo eu que sempre respeitei a igualdade, sempre achei que as pessoas tem o direito de ser como querem e agora eu estava me sentindo desrespeitada por uma das minhas melhores amigas...

Imagem extraída do blog Expresso Elas
Confesso para vocês, queridos leitores, que me peguei pensando se de repente minha vida de beliscos era tão enroscada por estar jogando no time errado e que talvez eu devesse tentar e isto me assustava porque realmente nunca senti a menor atração em mulheres, mas deveria considerar, ela é uma mulher, bonita, inteligente, bem humorada se fosse homem eu ficaria!
 
" - Déo, pára tudo!!! Você dizer que se ela fosse homem você ficaria já mostra o que você não é! Você já teve inúmeras possibilidades de manifestar isto dentro de você, inclusive bêbada...não é porque você arranja belisco errado que você está no time errado. Desencana!! " Disse o Pepê (meu amigo gay)
  
Demorou um tempo para eu procurá-la, pedir desculpas e ver que eu ainda tinha muito o que aprender...a amizade ficou meio estranha, a gente falava de assuntos superficiais, eu não conseguia falar mais da minha vida da maneira que eu falava porque tinha medo de magoá-la, (já que ela me revelou na conversa que eu realmente era o grande amor platônico da sua vida), mas que não ia mais tocar neste assunto.

Passado algum tempo, a gente começou a ficar mais próximas novamente e nesta mesma época, conheci a Carol. Ela era a pessoa centrada que a Lívia tanto mencionava que queria e o melhor: lésbica também! 
Consegui fazer as duas se aproximarem, se conhecerem melhor e hoje estão casadas (não legalmente porque isto é complicado aqui no Brasil), acabei ganhando duas grandes amigas. 

Por que eu estou conversando sobre isto leitores?
Porque só vivendo uma situação destas que eu pude perceber o tamanho do preconceito que temos. Eu gritava em alto e bom tom que não tinha preconceito, que tinha a mente aberta, mas foi só passar por isto para ficar mega retraída com uma das minhas melhores amigas.

Quando forem fazer algum tipo de julgamento pensem que falta de caráter, moral e ética são defeitos e traços negativos em uma pessoa, o restante é escolha individual.

Reações:

7 comentários:

Deo amei o texto principalmente como finalizou que resume tudo..."Quando forem fazer algum tipo de julgamento pensem que falta de caráter, moral e ética são defeitos e traços negativos em uma pessoa, o restante é escolha individual." Como somos falhos...Parabéns!!!

Deo, como esse texto deixa muito claro o que realmente somos não se sinta a única quando nos colocamos em seu lugar é muito fácil entender essa reação pois seria muita hipocrisia dizer que estaria tudo bem... Parabéns!!!

Oi Anjinha!
Obrigada! =)

E tenho que agradecer a Lívia que permitiu eu aprender isto...

Bjs da Déo

Eu era muito preconceituoso no assunto homossexualismo. Mas ai, trabalhei em uma empresa onde minha gerente era. Levava inclusive a namorada nos HH´s.

Namorei uma garota nesta mesmo época que, depois que nos separamos, "mudou de lado". (Ela é muito minha amiga (o) hoje...). Uma outra colega de trampo também era homossexual (também é minha brother hoje) e namorou com esta minha ex.

Mudei de cidade e o diretor da empresa que eu trabalhava era Gay. Voltei para minha cidade na tal e no meu penúltimo emprego, um rapaz da área de marketing também era gay.

Aprendi com todos que caráter independe da opção sexual de cada um.

E que acima de tudo, eles respeitam demais a sexualidade dos OUTROS que não tem a mesma que a deles. Isto foi o que mais aprendi.

Belo texto Deo!

Anônimos Beijos!

Ah, eu não sou gay! :)

Déo, acredito que isso acontece pra dar um "tapa" na nossa cara e nos mostrar o que realmente importa.
Eu me apaixonei loucamente, perdidamente e cegamente pelo meu melhor amigo, que era hétero quando o conheci, ou pelo menos ele achava que era, até que um dia eu perguntei, porque já estava desconfiada, e ele confirmou minhas suspeitas, me disse que era gay, fazia pouco tempo, não queria me magoar e achou que eu ia esquecer dessa paixão logo (háhá! ele subestimou minha capacidade, aconteceu o contrário, gostava cada vez mais).
Mas o fato é que depois disso eu tinha uma escolha a fazer: largar o melhor homem que eu já conheci e que tinha o privilégio de sermos amigos ou liquidar essa paixão, superar e continuar a amizade.
Déo... foi muito difícil. Mas enfim, eu amo aquele branquelo, descobri que o que realmente importa é o caráter, aniquilei um preconceito estúpido, a paixão se foi com muito esforço, estamos muito bem hoje. E cá entre nós, ele foi a melhor pessoa que apareceu na minha vida nos últimos anos, não mudaria nada do que aconteceu.

Andréia

Déo,

Estamos numa época de valores "estranhamente inversos" aos que cresci aprendendo. Isso por conta de vários fatores, como a globalização da "cultura massificada", pelos meios de comunicação (internet e afins) velozes e contundentes.

Com isso, se globalizaram também os preconceitos, as mazelas vindas de mentes doentes, as idiotices e inerentes e coisa e tal.

Mas penso o seguinte:

1) Quem pode julgar é o Criador;

2) Ultimamente andam confundindo demais, GOSTOS com PRECONCEITOS.

Está muito errado! Se eu não gosto disso ou gosto daquilo, não deveria ser julgado nem taxado de nada, são apenas gostos...


Brijãoooooooooooooooooooooooo,
Undívago - The Rocket Man...

Olá, Deo!

Amei a sua história! De uma maneira geral, vivemos rodeados de preconceitos, onde o próprio nome diz, é um pré-conceito, uma opinião sobre o que não conhecemos. Às vezes nos achamos suuuuper liberais, mas quando é conosco, a coisa muda de figura... Acho que sua reação foi normal, eu também não sei como reagiria...

O mais importante é o respeito. Aceitar e apoiar varia de pessoa para pessoa, mas respeitar é um dever! Temos que nos colocar no lugar dos outros e fazermos o que gostaríamos que fizessem conosco! Afinal, no meio de tantas diferenças, o que é ser diferente?

Beijinhos!