29 de jan de 2013

E quando é este momento?

Semana retrasada neste post aqui eu mencionei a situação de um cara que não queria nada nada e nem ninguém e logo depois estava namorando...vocês se lembram?

Isto aconteceu já faz um tempinho, mas a vida seguiu e conheci outras pessoas e estas outras pessoas também apareceram em minha vida num momento "curtir a vida adoidado" 

Hoje, olhando na rede social de um belisco, vi que ele está na foto principal abraçado com uma mulher que por sua vez ele intitula como "o amor da minha vida".
Voltei no tempo: o sujeito estava namorando por 8 anos com uma pessoa. Brigavam direto. Ai eu apareci em sua vida. Fiquei com ele. Não queríamos as mesmas coisas...aliás nem eu queria namorar com ele, muito baladeiro e nem ai para nada. Não deu certo e o ponto não era este. Hoje o cara que é baladeiro e não quer nada sério com ninguém está com outra pessoa que não é a namorada de anos atrás e ainda denomina como sendo "o amor da minha vida"

E ai surgiu uma dúvida.

"Qual o limite de se fazer presente ou não, pra tentar reverter o momento dele? (Considerando que momento seja "curtir a vida adoidado")"
Como não pecar pelo excesso e também como não pecar pela ausência?

Se eu estou saindo com alguém que se separou recentemente, seja de um casamento, seja de um relacionamento e me diz que não pensa em ter mais ninguém por um bom tempo e que quer curtir, qual a minha saída?

Só saio quando ele aparece? 
Apareço de vez em quando como quem não quer nada perguntando como ele está e que estou com saudades? 

Ah não, saudades não posso colocar senão ele pode achar que eu criei um vínculo com ele e pode se sentir preso.

Então coloco apenas...
Oi, tudo bom? Beijos. Déo
(para colocar só isto não mando nada!)

E assim os dias vão passando. E a gente fica na dúvida do que é muito do que é pouco e do que não é.

Um belo dia o sujeito coloca no face em relacionamento sério com a Maria Joaquina, sem nenhuma referência a novela atual do SBT. E você que ficou cheia de dedos e cuidados para não parecer a fim de um relacionamento sério, pensa:

Ãh? Que? Como assim?
Onde eu errei?
Eu errei?

Se os sinais que são dados nos encontros que temos com estas pessoas são claros e eles se envolvem com outras pessoas que não somos nós e nem suas ex, o que concluir?


17 de jan de 2013

Tipo assim dá para ser outra desculpa?

Começa assim...
Você revê sua rede de amigos: aqueles que são para uma vida toda e aqueles que seriam para meia hora. 
Vida toda são considerados nossos amigos de verdade, meia hora são considerados os fortes candidatos a termos alguma beliscada.

Entre uma lista imensa de pessoas, sobram uns quatro ou cinco no máximo e destes quatro a gente chega a conclusão de que no máximo um realmente sobra para nós.

O primeiro tem idade para ser seu sobrinho. Não dá!

O segundo poderia ser seu irmão...ooops, é seu irmão. De consideração, mas é irmão!

O terceiro tem idade que você precisa, mas maturidade que você não quer mais em sua vida. Ele é legal, quando pode te ouve, quando quer é simplesmente apaixonante, mas foge de você mais do que tatuagem do Sol. Você não sabe se ele te quer ou nunca te quis, sempre fica na dúvida e quando aparece uma oportunidade de sair, acontece algo na vida dele que você fica a ver navios.

O quarto acabou de terminar um loooooooooooooongo relacionamento e agora só quer "pegação". Pegação com você, comigo e com a torcida do Brasil na Copa 2014 em peso!!!

E ai sobra o quinto. O Kiko.
Ele é uma mistura de amizade tentando ser colorida com uma atração enrustida. 

Ele nunca disse que quer, mas nunca saiu de perto. Tipo mosca de padaria.
Você nunca disse nada porque tem medo de estragar o que já tem com ele, ou seja, a amizade. 

Só que esta vida é bem brincalhona e você toma um porre e despeja "tudo" na cara dele. É. Isto mesmo. Você diz que até queria alguma coisa com ele, mas que ele foge, que ele não decide nada e mais um monte de coisa que você poderia muito bem NÃO dizer. 

Resumo: você está no momento diferente dele e que o momento dele é só curtição!

Um belo dia (bem próximo deste dia do porre) esta pessoa que não quer NADA sério no momento de vida que está, arruma uma namorada!

Você faz o que?
Finge que é vaso e imita uma planta?

Eu sinceramente não entendo esta galera que não quer "nada" com ninguém e uma semana depois está namorando...

Sabe o que eu fiz?
Eu simplesmente não fiz nada. 
Apenas agradeci sabe por que? Porque é um a menos na minha lista.
Desejo ao casal muitas felicidades. 

Percebem como o "destino" arruma as coisas?
Eu tinha dúvidas, agora não tenho mais. 

Tenho certeza que o novo é a meta.
Tudo novo!
E mulherada, tenha certeza de que coisa que nunca desenrola é para não desenrolar. Serve apenas para você ficar tempo a menos disponível para o que realmente importa...

Aproveitar a vida!

Pensem nisto e evitem a cara de planta :) !! 

10 de jan de 2013

Déo meditação...

Teoricamente hoje eu deveria postar algum texto bombástico para vocês sobre o ano novo, os novos beliscos ou perspectivas de novos beliscos, mas hoje eu não estou afim.

Sabe quando a gente não quer comentar nada?
Não é TPM...
É porque tem dias que a gente olha, olha, olha e só sabe agradecer.

Não consigo fazer outra coisa a não ser agradecer por tudo o que tenho, por tudo o que não tenho (porque não ter e conviver com isto também é sabedoria e aprendizado), por tudo o que já passei e por tudo que o Universo preparou para eu passar ainda.

Sabe quando você consegue chegar num ponto em que o que você não teve  precisa aprender a esperar e o que já te aconteceu e não foi bom você sabe que foi o melhor que te aconteceu?
E como isto está muito forte para mim, não consigo escrever sobre outro tema...

Será que estou entrando naquela fase de consciência e evolução espiritual em que o equilíbrio tomou conta de mim e eu não serei mais a mesma?
Ai meu Pai, agradeço o equilíbrio, mas água morna todo dia não esquenta e nem esfria, não muda em nadaaaaaaaa....preciso de alguma turbulência para dividir por aqui!!!

De qualquer maneira, continuo do mesmo modo, agradecendo por cada oportunidade que a vida me deu até agora. Por cada escorregada ou tropeço fenomenal que eu dei e por cada escorregada ou tropeço que irei dar.

Se existem alguns beliscos por aqui?
Sim, existem. 
Se tenho algumas histórias curiosas para contar a vocês?
Sim, tenho.
Se eu ainda estou atrapalhada ou dou fora?
Sim, estou e dou.

Mas por hoje apenas, quero ficar assim...
meio morna
meio em banho-maria...

Aguardando os próximos acontecimentos...até a água esfriar e 
eu vir aqui contar...





3 de jan de 2013

Ano novo ou velho, certas coisas continuam iguais...

Feliz Ano Novo!!!!

Que este ano seja mais um ano com vocês presentes aqui no Cai Fora, Deodora!

Desejo que os pedidos que vocês fizeram sejam atendidos e se não forem, que fique um aprendizado como forma de evolução...

Eu vou deixar a vida me levar como diz a música...

E para inaugurar o ano vou postar o texto de uma das leitoras mais antigas do blog que sempre acompanha, sempre comenta. 

" Déo, preciso contar o que me aconteceu...Certo dia estava em uma festa com a Laura, uma grande amiga e acabei conhecendo um cara.

Conversamos muito sobre a nossa vida e ele me contou que tinha um filho que morava em outra cidade com a mãe, e até me mostrou uma foto, mas que não tinha mais nada com a mãe da criança, nesse momento meu "pisca alerta" acendeu. 

Eu fiz questão de perguntar e deixar bem claro que se ele estivesse com alguém poderia me contar porque eu odeio mentiras, mas ele disse que não. 

Conversando como a minha amiga, ela disse que isso era paranoia minha, que se ele tivesse algo com ela,  ele não teria me dito que tinha um filho e que eu estava procurando desculpas para cair fora. 

Até entendo que poderia estar fazendo isto por coisas que já vivi, mas mesmo assim fiquei um tempo com o pé atrás. 
Continuamos saindo por mais alguns meses.

Até que um belo dia de sol, eu estava tirando um cochilo antes de ir para a minha aula e o meu telefone toca. E sabe quem era? 
Nõa, não era ele, era a mãe do filho do "dito cujo". 

Ao atender perguntei quem era já que não reconhecia o número e ela disse: aqui é a ex-mulher do Paulo. Meu coração parou, porque né, eu na minha santa inocência achei que isso nunca aconteceria comigo. Disse que não podia falar dei tchau e desliguei o telefone. Não contente com isso ela me manda uma mensagem dizendo que ela era mulher dele (era ex e depois mulher, não entendi), mas que eu poderia ficar com ele que estava fazendo um favor para ela. 

Depois disso esperei ele me ligar como sempre fazia. Pensei assim: se não tem culpa no cartório, ele vai me ligar, mas se ele não ligar está assinando a sua confissão. E ele não me ligou mais e nem eu liguei para ele. Penso assim, quem devia, no mínimo, desculpas não era eu. E ficou por isso mesmo, por uns 5 meses.

Até que em uma linda noite de lua cheia, estava em frente a casa da Laura, batendo um papo e ele parou o carro e me chamou na maior arrogância, ahh Déo isso me deixou muito irritada, "desci do salto" e disse a ele que ele achava que eu era quem para ele falar comigo daquele jeito? 

Que se quisesse falar comigo que me chamasse com educação. Aí ele baixou mais a bola dele e foi mais educado, só que já era tarde demais, e a minha educação já tinha me deixado. Fui tão grossa com ele que nem me reconheci. Depois que disse umas verdades, ele ligou o carro e saiu. Quando me virei a minha amiga estava me olhando com uma cara de: quem é você e o que você fez com a minha amiga?? Rsrsrs mas me senti aliviada.

Fiquei irritada, mas a minha irritação maior foi por ele ter me tirado a opção de escolha, eu tinha que escolher se queria me relacionar com alguém comprometido ou não. Ainda que a resposta fosse não.

Independente da situação, ele deveria ter sido honesto e me jogado as cartas claramente.

E vim aqui contar esta história porque a situação é tão constrangedora que eu não desejo para ninguém. E hoje em dia não ficou mais com um e sim com os dois pés atrás, quando conheço alguém que tem filho. Pode ser preconceito meu, mas gato escaldado tem medo de uma simples gota! 

Bjs Déo

Querida, para começo de ano te digo uma coisa: aproveita a praia, o mar e o Sol de onde você está, porque eu sei que você está num lugar maravilhoso e deixe que os ventos te levem embora de pessoas assim e bons ventos te tragam apenas o melhor!

Bjs da Déo!