3 de jan de 2013

Ano novo ou velho, certas coisas continuam iguais...

Feliz Ano Novo!!!!

Que este ano seja mais um ano com vocês presentes aqui no Cai Fora, Deodora!

Desejo que os pedidos que vocês fizeram sejam atendidos e se não forem, que fique um aprendizado como forma de evolução...

Eu vou deixar a vida me levar como diz a música...

E para inaugurar o ano vou postar o texto de uma das leitoras mais antigas do blog que sempre acompanha, sempre comenta. 

" Déo, preciso contar o que me aconteceu...Certo dia estava em uma festa com a Laura, uma grande amiga e acabei conhecendo um cara.

Conversamos muito sobre a nossa vida e ele me contou que tinha um filho que morava em outra cidade com a mãe, e até me mostrou uma foto, mas que não tinha mais nada com a mãe da criança, nesse momento meu "pisca alerta" acendeu. 

Eu fiz questão de perguntar e deixar bem claro que se ele estivesse com alguém poderia me contar porque eu odeio mentiras, mas ele disse que não. 

Conversando como a minha amiga, ela disse que isso era paranoia minha, que se ele tivesse algo com ela,  ele não teria me dito que tinha um filho e que eu estava procurando desculpas para cair fora. 

Até entendo que poderia estar fazendo isto por coisas que já vivi, mas mesmo assim fiquei um tempo com o pé atrás. 
Continuamos saindo por mais alguns meses.

Até que um belo dia de sol, eu estava tirando um cochilo antes de ir para a minha aula e o meu telefone toca. E sabe quem era? 
Nõa, não era ele, era a mãe do filho do "dito cujo". 

Ao atender perguntei quem era já que não reconhecia o número e ela disse: aqui é a ex-mulher do Paulo. Meu coração parou, porque né, eu na minha santa inocência achei que isso nunca aconteceria comigo. Disse que não podia falar dei tchau e desliguei o telefone. Não contente com isso ela me manda uma mensagem dizendo que ela era mulher dele (era ex e depois mulher, não entendi), mas que eu poderia ficar com ele que estava fazendo um favor para ela. 

Depois disso esperei ele me ligar como sempre fazia. Pensei assim: se não tem culpa no cartório, ele vai me ligar, mas se ele não ligar está assinando a sua confissão. E ele não me ligou mais e nem eu liguei para ele. Penso assim, quem devia, no mínimo, desculpas não era eu. E ficou por isso mesmo, por uns 5 meses.

Até que em uma linda noite de lua cheia, estava em frente a casa da Laura, batendo um papo e ele parou o carro e me chamou na maior arrogância, ahh Déo isso me deixou muito irritada, "desci do salto" e disse a ele que ele achava que eu era quem para ele falar comigo daquele jeito? 

Que se quisesse falar comigo que me chamasse com educação. Aí ele baixou mais a bola dele e foi mais educado, só que já era tarde demais, e a minha educação já tinha me deixado. Fui tão grossa com ele que nem me reconheci. Depois que disse umas verdades, ele ligou o carro e saiu. Quando me virei a minha amiga estava me olhando com uma cara de: quem é você e o que você fez com a minha amiga?? Rsrsrs mas me senti aliviada.

Fiquei irritada, mas a minha irritação maior foi por ele ter me tirado a opção de escolha, eu tinha que escolher se queria me relacionar com alguém comprometido ou não. Ainda que a resposta fosse não.

Independente da situação, ele deveria ter sido honesto e me jogado as cartas claramente.

E vim aqui contar esta história porque a situação é tão constrangedora que eu não desejo para ninguém. E hoje em dia não ficou mais com um e sim com os dois pés atrás, quando conheço alguém que tem filho. Pode ser preconceito meu, mas gato escaldado tem medo de uma simples gota! 

Bjs Déo

Querida, para começo de ano te digo uma coisa: aproveita a praia, o mar e o Sol de onde você está, porque eu sei que você está num lugar maravilhoso e deixe que os ventos te levem embora de pessoas assim e bons ventos te tragam apenas o melhor!

Bjs da Déo!



Reações:

2 comentários:

Confuuuuuso o texto!

Quem é a leitora? Não tem o nome dela no texto ou na apresentação.

Sei lá Deo, sabe que eu curto pacas aqui o blog, mas este texto desta leitora ficou meio sem pé nem cabeça!

Vai ver eu ainda estou de ressaca de
Ano Novo e não entendi mesmo...

Anônimos Beijos, Deo!

Anônimo, vc está de ressaca! Porque este foi um dos maiores exemplos de autoestima que vi aqui no blog e foi bem contado.
Se fosse outra, teria perdoado e ficado com o mané.
bjs