24 de abr de 2013

#caiforadeodora

Num daqueles dias de ócio total, de falta de vontade de sair de casa, friozinho e pijamas, surge a seguinte e brilhante ideia: vou entrar no chat já que faz tempão que não entro...

A pessoa decide entrar no chat para conversar com alguém legal.
Teoria número 1 é - todos são legais até que se prove o contrário ou até que o nick se mostre contrário! "ksado cam", "gostoso ksado cam" "garoto de programa" entre outros nicks piores porém não menos curiosos e engraçados aparecem na lista de disponíveis para o chat.

Converso com todos porque "quem vê nick não vê coração", menos os casados por questão de precaução. Explico: em dias de carência qualquer fofo que diz bom dia você acha que tá afim de você. 
Sendo assim nick informando que é casado eu ignoro.

Assim como os motoboys, os mais variados nicks "aparecem do nada" na minha tela querendo conversar. A partir dai ocorre a segunda pré-seleção:

a) se começa a conversa com "e ai, te achei muito gata q tc?"   -  gata? não tem cam aqui como ele sabe que sou gata?

b) tc de onde? q tc?  - o cara não sabe iniciar uma conversa direito e começa abreviando imagina a preguiça para outras coisas?

c) olá, meu nome é Roberto, tenho 29 anos, sou separado, tenho um filho, sou alto, musculoso, tenho 1,90, 95 quilos, pareço com o Márcio Garcia, sou empresário, carinhoso, gosto de massagem e um pouco de sacanagem e busco no chat um relacionamento sério. Se você também pensa assim me adiciona no msn "robertoomaravilhoso@...." - este ai copiou é o famoso ctrl+c / ctrl+v mandou para todas e está aguardando resposta.

Depois da segunda pré-seleção vem o povo liberado com ressalvas
a) erros de português infelizmente eu não tolero
b) falar com muitas gírias também não
c) fazer cena de ciúmes do tipo "nossa amor, você não está me dando atenção, está muito ocupada? você tem que falar só comigo..." tá fora

Com a peneira toda sobram poucas opções...e a chance de conversar com pessoas mais próximas do que você chama de normais também.
Foi ai que apareceu o Juliano. Nick normal, assuntos normais, profissão, o que faz, o que busca no chat, como você é (embora isto me incomode é natural perguntarem) e o assunto flui. Sem erros grotescos ao escrever, educado, bem informado, este ganha o direito de ter meu msn.

A gente conversa sobre vários assuntos. O cara da foto não é tão lindo e não é tão feio tá na média e você pensa "por que não?" Ele pede seu número de celular e você pensa de novo "por que não"?. Ele diz que vai te ligar em poucos minutos porque quer ouvir sua voz e você "por que não?"

Vocês conversam e tudo flui bem. Ele diz que até estava com outras intenções no chat, mas que por sua causa preferiu rever seus conceitos porque você é bacana.

No dia seguinte entra no chat e manda uma foto dele nu.
Você olha (claro né tem que verificar o produto) e pensa - qual a parte do "não curto estas coisas" ele não entendeu?

Óbvio que depois disto o Juliano super bonzinho e bacana virou mais um da lista dos tontos.
Não sejamos puritanos, adoro uma apimentada na relação, mas quando a relação existe e não quando ela nem foi construída. Não feliz ele manda um whatsapp enorme dizendo que você é louca e que quem perdeu foi você e mais várias outras coisas e eu? Bloqueio o número de telefone do sujeito! Simples assim! 

#caiforadeodora

17 de abr de 2013

Do que você tem medo?

O medo, segundo a psicologia, é uma forma de proteção, é a sobrevivência que nos ajuda a evitar as situações, as pessoas ou os objetos que colocam nossa vida em perigo, é o seu limite para não cometer atrocidades consigo mesmo. Se você não tem medo de nada você se joga do alto da montanha e não se preocupa que lá embaixo é o fim da sua vida. Tanto que existe uma doença que a pessoa não sente medo de nada e ela acaba se colocando em perigo por isto.


Muito se fala a respeito: nas músicas, textos, milhares de matérias de psicologia sobre, mas ninguém descobriu uma pílula que tira o medo para sempre. 
Existem os "medinhos": "tenho medo de pular de pára-quedas" ok, é só não pular. "Tenho medo de saltar numa piscina de 15 metros de profundidade" ok, não salte. "Tenho medo de filme de terror então eu não assisto". E mais um monte de "medinhos" que são são coisinhas que evitamos e pronto.


Conheço gente que tem medo de avião, de cobra, de barata, rato, de entrar em ônibus, metrô, túnel, mas ai é o que chamamos de fobia e deve ser tratado como tal.

Mas aqui eu to falando de outro medo. O medo que para mim é aquele que te expõe de tal forma que você não sabe reagir e trava as quatro rodas.
E é dele que eu estou perguntando: do que você tem medo?
O que te faz travar as quatro rodas e por que?

Para que vocês não fiquem com vergonha de se expor aqui neste post eu vou começar respondendo este questionamento.

Eu tenho medo de dar certo!
Quando as coisas andam divinamente bem eu tenho medo. Começo a achar que vem uma onda gigante devastar tudo e como vocês sabem o pensamento tem força e atrai tudo aquilo que estamos visualizando...

Eu tenho medo de morrer sem terminar coisas que comecei. Também me amedronta saber que não falei tudo aquilo que queria quando tive a oportunidade e agora...agora já é tarde demais. 

Agora o que me dá mais medo é não saber se vou ter tempo para fazer tudo aquilo que eu ainda quero fazer, mas que hoje tenho medo! 

11 de abr de 2013

A banda é larga, mas o caminho nem tanto!


Você conhece o Conta para mim, Déo? É um espaço reservado a você. Mande sua história no caiforadeo@gmail.com que eu conto!

Hoje eu vou contar a história da Bel

Déo, meu nome é Bel, adoro seu blog, mas só hoje tive coragem de escrever para você.

Garotas Geeks

Conheci um rapaz na net num site de relacionamento.

Trocamos mensagens por anos, uns três anos e pouco ou mais...ficamos MUITO amigos e mesmo ele dizendo que era só amizade eu nunca perdi a esperança; fiz poesias, canções, cartão especial, declarações de amor...mas ele nunca chegou a me amar.
E sei que no fundo ele gostava... Afinal de contas que homem não gosta de ser paparicado? O ego sempre agradece!

Um dia, como eu ia estar na cidade natal dele combinei de nos encontrar e neste encontro ficou claro que realmente ele não tinha interesse além da amizade por mim...

Na verdade até me contou que já estava gostando de uma menina da cidade. Claro que eu fiquei com a maior dor de cotovelo, estima baixou, vi que a menina era o "tipo" dele e fiquei arrasada.

Semana passada vi no facebook que ele está namorando com essa menina que conheceu há pouquinhos meses.

Como eu estou? A-R-A-S-A-D-A ainda mais.

Anos que eu joguei fora sem me dar conta...

Acabou a amizade até mesmo porque ele achou melhor assim e de certa forma eu não o culpo porque ele nunca me prometeu nada, mas eu nunca havia perdido as esperanças de um dia conquistá-lo.

Eu sei que errei com as falsas expectativas por tanto tempo, mas o que me alimentava também era o ego dele, de todos os homens, ao se deliciarem vendo que estão sendo admirados, acho que alimenta o ego de todo ser humano.

Tenho tido dias difíceis, me sentindo usada, uma dor triste, solitária, murcha.

Perdi o homem que eu amo, perdi meu melhor amigo e a possibilidade até de lhe dirigir a palavra. 

Bjus e forças a todos que passam por situações assim!

Belzinha querida: eu entendo de coração a situação que você está, porém você mesma viu que quem fantasiou tudo foi você. Eu já fiz muitas vezes isto porque achava que eu pudesse mudar alguém, mas a gente não muda quem não quer ser mudado! 

Mas quero te ver bem, xô baixo astral, porque com o astral assim as coisas não fluem e outra, se não deu certo era porque não era para dar mesmo! 
Já pensou se vocês ficassem e ele terminasse para ficar com ela? Ia ser mais dolorido ainda porque vocês teriam se envolvido! 

Belzinha linda! Fique linda para a vida que ela sorri para você! 
Boa sorte e me conte as novas em breve hein?

Bjs da Déo!

4 de abr de 2013

Esqueça o guarda-chuva...se molhe mesmo!

Sentada ao lado de um ovo de Páscoa que já foi consumido 85% fiquei pensando no que contar a vocês esta semana. Pensei em algo que fizesse vocês refletirem, pensarem sobre o que andam fazendo na vida, só que nada vinha na minha cabeça e por isto resolvi contar a última em que me meti.

Eu tenho um grande problema com relacionamentos iô-iô.
Aqueles que vão e voltam várias vezes, mas que nunca definem se são sim ou não. Não sei se com vocês isto acontece, mas comigo é muito comum. Dentro dos iô-iôs que eu conheci na vida, tem um que resolvi insistir.

Sabe aquele dia que você acorda e diz: - Nossa, como eu não pensei nisto antes? É ele! Estava na minha cara este tempo todo e eu não percebi? Entrei nesta com o Bruno. Achei que depois de tanto tempo de vai e some e volta e vai e some e volta, agora era a nossa vez.
Nada foi traumático em nossos vai e volta e some. Ficamos no passado, ele quis namorar, eu não estava preparada para um relacionamento com ele e voltei atrás. Ele continuou sendo um bom amigo que às vezes te encontra para almoçar, bater papo e só. Até aconteceu este caso com ele que contei aqui, vocês lembram?

Neste nosso "Reencontro 10.000 a missão", saímos, ficamos, rimos, fomos nós mesmos sem querer provar nada a ninguém...e eu fiquei muito confiante na vitória!

Entre a gente se ver naquele dia perfeito e ter mais um encontro, foi um período em que eu decidi "investir". E investida quando a gente está decidida, é meter os pés pelas mãos, fazer com que a mãe ansiedade faça as coisas por você e cometer alguns exageros...mas ao final achei que não exagerei.
Em resumo: era um torpedo por semana que rendia mais uns dois ou três torpedos de conversa...

Na semana passada o sujeito me convida para sair, pois o John estava aqui no Brasil e tinha se lembrado de mim. Pensei: a hora é agora! Fomos para uma balada e lá praticamente não conversamos. Conversei com todos os amigos dele que fizeram questão de me deixar muito a vontade. O John agora mais familiarizado comigo e com o Brasil ficou batendo papo...e a noite foi passando.

Palavras ao vento

Já quase de manhã ele foi me levar embora e realizem a cena: ele veio me dar tchau com um beijo e um abraço. Beijo no rosto e um abraço apertado.
- Bruno, eu queria outro beijo.
Ele repete a cena: beijo no rosto e um abraço apertado, só que desta vez mais apertado!
- Bru, o que está acontecendo?
" - Déo eu conheci uma pessoa..."
- Quando? Faz menos de um mês que ficamos...
" - Semana passada."




Glup!
Não estava esperando por isto, mas aproveitei o momento para dizer tudo o que pensava sobre nós.
Acho que quando estamos decididos a dizer o que sentimos, não adianta voltar atrás e dizer "tudo bem" não era nada demais. Se estamos na chuva, que a gente se encharque. Não quero meio. Não quero 50%. Ou é 100% ou é 0.

O final foi típico de novela mexicana...eu indo embora sem olhar para trás e pensando "tomara que ele se arrependa e grite meu nome Déeeeeeeeo eu te amo e saia do carro correndo em minha direção!!! " mas não, não aconteceu nada similar...ele saiu com o carro dele e não nos falamos mais. Simples assim!
Tem horas que a melhor forma de você partir para o novo é esgotando o velho.