22 de set de 2014

Mais uma da Monicat!

O Conta para mim, Déo, é a oportunidade que você tem para dividir com a gente a sua história. 
Gostou da história da Monica? Quer contar a sua? 
Mande um e-mail para caiforadeo@gmail.com que eu conto. 

"Olá Déo,

Eu reapareci essa semana relembrando sobre a minha história mal sucedida com o Tinder. Acho que to querendo exorcizar de vez esta história e para isto vou usar o seu sofazinho daqui para isto! 
(Para quem quiser entender o caso vale a pena ler a história aqui!)

Eu não tenho sorte no amor, nos relacionamentos. Não se trata de ser pessimista, dramática, é a realidade mesmo. Várias circunstâncias como: crônica falta de autoestima, carência, desespero e uma falta de sorte resultam no fato de relacionamento para mim ser sinônimo de aborrecimento.

Mas eu sou brasileira e não desisto nunca né. Sofro por um tempo e sempre recomeço. Nesses recomeços (ou não tão recomeço assim, pois eu estava super chateada com um carinha que não me quis) eu baixei o Tinder.

Entre bate papos que nunca foram muito adiante conheci “o arábe”. Sabe-se lá porque ele apareceu para mim, pois eu sou de Minas e ele de São Paulo e gostaria de conhecer alguém próximo evidentemente né?

Como havia falado, esse moço apareceu em uma época que eu estava devastada por causa de um ex e hoje percebo que isso me deixou cega, digo isso porque algumas coisas estavam claras desde o começo e eu não quis acreditar.

Desde o começo “o arábe” demonstrou estar muito interessado e talvez até envolvido, lembro que no terceiro dia que estávamos nos falando ele soltou um “te adoro”. 

Eu obviamente me deixei levar. Falávamos pelo whatsapp o dia inteiro e aquele romantismo todo e eu subindo, subindo, subindo que nem um balão.

Um mês depois ele começou a falar que não acreditava em namoro à distância e que ia sair com outras pessoas. Que tinha uma moça dando em cima dele e outra que ele não estava namorando porque ela não queria. A parte ele falava que gostava de mim. Por que eu me submeti a isso?

Lembro que era véspera de um feriado prolongado e comecei a tocar no assunto de nos encontrarmos, ele que não é bobo me encheu de esperança, mas quando chegou o dia nem precisa dizer né, ele tirou o corpo fora, deu uma desculpa e eu acreditei.

Acreditei tanto que continuei falando com ele. Ah e acabei de me lembrar além do whatsapp, falávamos pelo Skype toda as noites e claro eu fui me evolvendo cada vez mais.

Veio mais uma véspera de feriado e eu doida pra conhecer o moço ele com desculpa esfarrapada e querendo só papo pelo Whatsapp. Cheguei a mandar um presente de aniversário pra ele nessa época (como eu posso?).

Já no meu aniversário ganhei "parabéns".

Nessa época eu resolvi sumir e consegui dar uma desencanada...mas ele sempre presente pelas redes sociais.

Passado um mês mais ou menos eu resolvi puxar conversa e ele solta que ia me conhecer! Para encurtar a história não teria como ele vir a minha cidade por falta de vaga em hotel e nisso eu falei que ia a SP. Como era de se esperar na última hora ele disse que não dava porque estava trabalhando. Desculpa né Déo? Eu o apertei e ele saiu fora.

Hoje o negócio perdeu totalmente o clima, pois ele fala comigo no whatsapp quando quer e responde dias depois quando eu mando mensagem. E se eu resolvo falar como eu me sinto, ele me acusa de só reclamar da vida e cobrar como por exemplo o nosso encontro.

Eu meio que imagino que você vá dizer que a minha situação já virou patológica né...mas adoraria sua opinião."

Monicats, em primeiro agradeço por nos atualizar da história. 

Pelo fato de você não se achar interessante, bacana, um mulherão (pela foto que vi você é uma gatona!) acaba aceitando migalhas de pessoas que na verdade nem estão querendo te conhecer, estão querendo curtir uma temporada! E muito provavelmente as pessoas que realmente te conhecem e querem estar com você, você não se interessa. 
O ponto aqui (em minha opinião já que você me permitiu isto) é você. 
Você aceita o outro com todos os defeitos que eles possuem, mas não se aceita. Parece que você se deixa em segundo plano e ai todos irão fazer o mesmo. Aceitar nossas limitações é sabedoria. Agora permitir que o outro assuma a rédea da nossa vida não é legal.
Eu, assim como você, passo por várias situações assim, mas aprendi com o passar do tempo que eu sou mais importante do qualquer relacionamento. Por mais que eu queira ter alguém, aprendi que eu sou a única pessoa que irá me aguentar até o fim. Viemos nesta Terra sozinha e assim também partiremos. O intervalo disto é a nossa vida e devemos cuidá-la da melhor forma.

Monicats! Eu ainda vou ler uma história sua maravilhosa e bem sucedida! E faço questão que me conte aqui! 

Um beijão!

16 de set de 2014

Tinder parte 8.545!

Como eu já tinha falado, vou aos poucos contando casos (os piores) do tinder em doses homeopáticas.

Tem uma coisa que eu quero deixar bem claracontar estas histórias foi a maneira que eu encontrei de dizer a todos os meus leitores (sim, muitos homens leem meu blog) e leitoras que isso pode acontecer com qualquer pessoa. A diferença é que eu conto a vocês.

Eu penso que quanto mais natural tornar estas histórias a vocês, menos traumas e pitis vocês (assim como eu) terão. Porque o pensamento será " bom se a Déo já passou por isto, o meu vizinho já passou por isto, as leitoras e leitores que comentam no blog já passaram por isto, não é exclusividade minha. É normal acontecer este tipo de coisa com todo mundo e não só comigo! Não sou o azarado ou a azarada do mundo..." é tipo uma terapia em grupo!

O Ogro - parte 1987
Vocês já leram aqui sobre ogro porque é algo rotineiro, mas neste caso foi um belisco tinderet que encontrei. O cara começou a conversar logo depois do "match" com milhares de perguntas sobre mim e falando diretamente o que queria. E como ele era bem baixinho já foi dizendo que para ele altura não tinha nada a ver (porque por mais alta ou baixa que eu fosse ia ser difícil ser menor que ele). 

Eu não sou uma pessoa com preconceitos, avalio currículos de todos os modelos e ele da forma que falava pareceu prático, porém sincero. Disse que poderíamos nos ver e que seria ótimo para ele e tal. Mandou beijo porque ia dormi e disse " - Amanhã falamos mais a respeito".
Este amanhã simplesmente não existiu. Ele sumiu. E eu como não estava tão interessada assim, deixei pra la, mas diferente do que faço, não tirei o número do wsap dele do meu celular. Dois meses depois ele aparece no meu wsap:

" - Oi tudo bom? Quando vamos nos conhecer?"
- Olha nem pensei sobre isso porque a gente nunca mais se falou.

Ai ele me manda um áudio:
" - Bom a gente nunca mais se falou porque você não falou comigo, mas eu estou fazendo a minha parte, agora falta você fazer a sua." 

Eu fico pensando aqui com os meus botões. Um cara está no tinder por "n" motivos: carência, tristeza, raiva, porque quer pegar todo mundo, porque quer arrumar um amor para toda a vida (raro isso), porque não tem o que fazer, porque é casado e tá cansado de arroz e feijão etc etc etc. Ele nunca viu a pessoa com quem está conversando por mensagem e ai quando manda áudio fala como se fosse o homem das cavernas? 

Pergunto a vocês mulheres:
Vocês gostam de cara assim? 
É algo sexy, vocês gostam de estilos "coça o saco e abre cerveja com o dente?"
Se isso é sinal de masculinidade eu realmente sou apaixonada por outro tipo de homens (para entender melhor leia aqui.)

Só sei que este foi mais um capítulo da série "tinder".

7 de set de 2014

Rosa chicleeete!

Eu trabalhei numa empresa super moderna de tecnologia. Isso faz anos. Muitos.
Ainda era meio "desligada" de algumas coisas e meio tapada para entender outras. Achava que todo mundo era confiável e que eu podia contar minhas poucas experiências da época para qualquer um.

Nesta brincadeira acabei ficando amiga de um cara e ficando afim dele também. O nome dele é Gabriel. Eu achava ele lindo. Atencioso. Adorava almoçar comigo e conversar e dizia que tinha uma namorada que morava no Rio de Janeiro. E eu comprava presente para ele, sem motivo de aniversário, sem motivo algum...só para agradá-lo.

Passado alguns anos eu conheci um cara lindo. Gentil. Educado. Elegante. Divertido etc etc etc...ficamos amigos e eu pagando pau! Ele me dava dicas de tudo: roupa, jeito de lidar com um cara, o que os homens gostam ou não, comportamento, etc etc etc. E eu tentava aplicar tudo o que ele me ensinava com ele mesmo e nada de dar certo...

O que eles tem em comum?
São gays!
Sim! O primeiro eu descobri anos depois quando vi uma propaganda de uma casa noturna GLS e ele era o DJ residente! O DJ gay (um dos mais conhecidos) daquela balada.

O outro um dia veio todo meloso dizendo que me "amava" (gelei quando ele disse isso) e que queria me confidenciar algo. E disse que namorava já há algum tempo com um cara e queria me apresentar porque éramos unha e carne e o namorado dele já sabia de tanto que ele falava de mim! 


Estes foram apenas dois dos casos que me aconteceram. E minhas amigas sempre falavam deste meu dedinho voltado aos gays. Por muito tempo achei que tinha algo de errado comigo já que eu sempre gostava de caras que gostavam da mesma coisa que eu. 

Só que agora, analisando minha vida e estas pessoas que me apareceram, cheguei a conclusão de que não é a escolha da orientação sexual deles que me faz ser atraída por eles, é a sensibilidade. Eles e alguns poucos homens que já conheci, possuem esta característica. Eu gosto de quem me olha nos olhos, fala a verdade, sente quando não estou bem, que repara em detalhes e em coisas que nem todo mundo vê. E isso não é porque ele é "afeminado" como dizem ou porque ele é "meio mulher". É porque eles e estes poucos homens que já encontrei na vida, possuem um olhar humano que os homens ogros que eu também encontrei por ai não tem.

Só para deixar claro: não estou generalizando, estou colocando os meus exemplos. Conheci caras bem ogros (aqui no blog você acha várias histórias assim), conheci caras sensíveis e gays e sensíveis que gostam de mulheres, mas quis contar isto a vocês porque por muitas vezes eu ouço: "afff como você tem dedo podre, só gosta de gay".

Não acho que seja dedo podre, seja dedo sensível.
E quer saber? Estas amizades só trouxeram experiências e muitas gargalhadas. E não vou deixar de procurar em minha vida os homens sensíveis porque para mim são estes que valem a pena.