22 de set de 2014

Mais uma da Monicat!

O Conta para mim, Déo, é a oportunidade que você tem para dividir com a gente a sua história. 
Gostou da história da Monica? Quer contar a sua? 
Mande um e-mail para caiforadeo@gmail.com que eu conto. 

"Olá Déo,

Eu reapareci essa semana relembrando sobre a minha história mal sucedida com o Tinder. Acho que to querendo exorcizar de vez esta história e para isto vou usar o seu sofazinho daqui para isto! 
(Para quem quiser entender o caso vale a pena ler a história aqui!)

Eu não tenho sorte no amor, nos relacionamentos. Não se trata de ser pessimista, dramática, é a realidade mesmo. Várias circunstâncias como: crônica falta de autoestima, carência, desespero e uma falta de sorte resultam no fato de relacionamento para mim ser sinônimo de aborrecimento.

Mas eu sou brasileira e não desisto nunca né. Sofro por um tempo e sempre recomeço. Nesses recomeços (ou não tão recomeço assim, pois eu estava super chateada com um carinha que não me quis) eu baixei o Tinder.

Entre bate papos que nunca foram muito adiante conheci “o arábe”. Sabe-se lá porque ele apareceu para mim, pois eu sou de Minas e ele de São Paulo e gostaria de conhecer alguém próximo evidentemente né?

Como havia falado, esse moço apareceu em uma época que eu estava devastada por causa de um ex e hoje percebo que isso me deixou cega, digo isso porque algumas coisas estavam claras desde o começo e eu não quis acreditar.

Desde o começo “o arábe” demonstrou estar muito interessado e talvez até envolvido, lembro que no terceiro dia que estávamos nos falando ele soltou um “te adoro”. 

Eu obviamente me deixei levar. Falávamos pelo whatsapp o dia inteiro e aquele romantismo todo e eu subindo, subindo, subindo que nem um balão.

Um mês depois ele começou a falar que não acreditava em namoro à distância e que ia sair com outras pessoas. Que tinha uma moça dando em cima dele e outra que ele não estava namorando porque ela não queria. A parte ele falava que gostava de mim. Por que eu me submeti a isso?

Lembro que era véspera de um feriado prolongado e comecei a tocar no assunto de nos encontrarmos, ele que não é bobo me encheu de esperança, mas quando chegou o dia nem precisa dizer né, ele tirou o corpo fora, deu uma desculpa e eu acreditei.

Acreditei tanto que continuei falando com ele. Ah e acabei de me lembrar além do whatsapp, falávamos pelo Skype toda as noites e claro eu fui me evolvendo cada vez mais.

Veio mais uma véspera de feriado e eu doida pra conhecer o moço ele com desculpa esfarrapada e querendo só papo pelo Whatsapp. Cheguei a mandar um presente de aniversário pra ele nessa época (como eu posso?).

Já no meu aniversário ganhei "parabéns".

Nessa época eu resolvi sumir e consegui dar uma desencanada...mas ele sempre presente pelas redes sociais.

Passado um mês mais ou menos eu resolvi puxar conversa e ele solta que ia me conhecer! Para encurtar a história não teria como ele vir a minha cidade por falta de vaga em hotel e nisso eu falei que ia a SP. Como era de se esperar na última hora ele disse que não dava porque estava trabalhando. Desculpa né Déo? Eu o apertei e ele saiu fora.

Hoje o negócio perdeu totalmente o clima, pois ele fala comigo no whatsapp quando quer e responde dias depois quando eu mando mensagem. E se eu resolvo falar como eu me sinto, ele me acusa de só reclamar da vida e cobrar como por exemplo o nosso encontro.

Eu meio que imagino que você vá dizer que a minha situação já virou patológica né...mas adoraria sua opinião."

Monicats, em primeiro agradeço por nos atualizar da história. 

Pelo fato de você não se achar interessante, bacana, um mulherão (pela foto que vi você é uma gatona!) acaba aceitando migalhas de pessoas que na verdade nem estão querendo te conhecer, estão querendo curtir uma temporada! E muito provavelmente as pessoas que realmente te conhecem e querem estar com você, você não se interessa. 
O ponto aqui (em minha opinião já que você me permitiu isto) é você. 
Você aceita o outro com todos os defeitos que eles possuem, mas não se aceita. Parece que você se deixa em segundo plano e ai todos irão fazer o mesmo. Aceitar nossas limitações é sabedoria. Agora permitir que o outro assuma a rédea da nossa vida não é legal.
Eu, assim como você, passo por várias situações assim, mas aprendi com o passar do tempo que eu sou mais importante do qualquer relacionamento. Por mais que eu queira ter alguém, aprendi que eu sou a única pessoa que irá me aguentar até o fim. Viemos nesta Terra sozinha e assim também partiremos. O intervalo disto é a nossa vida e devemos cuidá-la da melhor forma.

Monicats! Eu ainda vou ler uma história sua maravilhosa e bem sucedida! E faço questão que me conte aqui! 

Um beijão!

Reações:

0 comentários: