7 de set de 2014

Rosa chicleeete!

Eu trabalhei numa empresa super moderna de tecnologia. Isso faz anos. Muitos.
Ainda era meio "desligada" de algumas coisas e meio tapada para entender outras. Achava que todo mundo era confiável e que eu podia contar minhas poucas experiências da época para qualquer um.

Nesta brincadeira acabei ficando amiga de um cara e ficando afim dele também. O nome dele é Gabriel. Eu achava ele lindo. Atencioso. Adorava almoçar comigo e conversar e dizia que tinha uma namorada que morava no Rio de Janeiro. E eu comprava presente para ele, sem motivo de aniversário, sem motivo algum...só para agradá-lo.

Passado alguns anos eu conheci um cara lindo. Gentil. Educado. Elegante. Divertido etc etc etc...ficamos amigos e eu pagando pau! Ele me dava dicas de tudo: roupa, jeito de lidar com um cara, o que os homens gostam ou não, comportamento, etc etc etc. E eu tentava aplicar tudo o que ele me ensinava com ele mesmo e nada de dar certo...

O que eles tem em comum?
São gays!
Sim! O primeiro eu descobri anos depois quando vi uma propaganda de uma casa noturna GLS e ele era o DJ residente! O DJ gay (um dos mais conhecidos) daquela balada.

O outro um dia veio todo meloso dizendo que me "amava" (gelei quando ele disse isso) e que queria me confidenciar algo. E disse que namorava já há algum tempo com um cara e queria me apresentar porque éramos unha e carne e o namorado dele já sabia de tanto que ele falava de mim! 


Estes foram apenas dois dos casos que me aconteceram. E minhas amigas sempre falavam deste meu dedinho voltado aos gays. Por muito tempo achei que tinha algo de errado comigo já que eu sempre gostava de caras que gostavam da mesma coisa que eu. 

Só que agora, analisando minha vida e estas pessoas que me apareceram, cheguei a conclusão de que não é a escolha da orientação sexual deles que me faz ser atraída por eles, é a sensibilidade. Eles e alguns poucos homens que já conheci, possuem esta característica. Eu gosto de quem me olha nos olhos, fala a verdade, sente quando não estou bem, que repara em detalhes e em coisas que nem todo mundo vê. E isso não é porque ele é "afeminado" como dizem ou porque ele é "meio mulher". É porque eles e estes poucos homens que já encontrei na vida, possuem um olhar humano que os homens ogros que eu também encontrei por ai não tem.

Só para deixar claro: não estou generalizando, estou colocando os meus exemplos. Conheci caras bem ogros (aqui no blog você acha várias histórias assim), conheci caras sensíveis e gays e sensíveis que gostam de mulheres, mas quis contar isto a vocês porque por muitas vezes eu ouço: "afff como você tem dedo podre, só gosta de gay".

Não acho que seja dedo podre, seja dedo sensível.
E quer saber? Estas amizades só trouxeram experiências e muitas gargalhadas. E não vou deixar de procurar em minha vida os homens sensíveis porque para mim são estes que valem a pena.

Reações:

3 comentários:

Oi Déo,

Ótimo post. A gente se encanta pelo jeito da pessoa, você disse tudo sensibilidade.

Bjoss.
Daniele A.

Dani A
É isso!
A gente se encanta pelo que as pessoas são...
bjs

Tenho um amigo desse jeito. Sortudo é o cara que for ficar com ele =D