17 de out de 2014

O que você quer?

Sem rodeios: o que você quer para você?

Antes de reclamar ou então relutar com o que te acontece, tente lembrar do que você pediu para você. 
O que acontece na sua vida é resultado do que você pediu. Independente da força que você acredita. Seja Deus, Universo, mentores espirituais, energia cósmica, etc...

Já disse algumas vezes aqui que somos reflexo de nós mesmos. Quando você olha no espelho o que vê?
É lá que estão suas respostas. Da mesma forma que somos um reflexo do que emitimos ao mundo, recebemos do mundo as energias que enviamos.

Não importa o que você quer. 
O que importa é saber pedir.

Escolhemos estarmos onde estamos e por mais que queiramos culpar os outros, somos os únicos responsáveis por qualquer consequência de nossos atos.

O que você quer para você?
Como você se vê: vítima ou protagonista da sua vida.

Por estes caminhos da vida encontro muita gente reclamona. É porque está solteiro, é porque está sem grana, é porque tem filhos e não tem tempo para nada ou porque está trabalhando muito e não consegue fazer mais nada, enfim, a sensação que eu tenho é que nunca estão satisfeitos e que sempre falta. E o que falta não é no outro, e sim em cada um de nós. A incompletude está em nós. Não jogue esta responsabilidade para o outro.

Quero te ver aqui no blog contando suas experiências, desafios e alegrias, mas acima de tudo como protagonista da sua própria história.



9 de out de 2014

Mimimi

Muito provavelmente sou eu.
Porém, mesmo sendo eu, não deixo de comentar...
Eu me irrito profundamente com casaizinhos mimimi. 
Pronto. Falei. Tô leve!


Essa coisa de ficar no maior nheco nheco em locais públicos e falando feito criança, ou pior, falando num dialeto que nem meus sobrinhos um dia falaram me incomoda demais.


Deve ser porque fui criada por um pai direto e reto, sem rodeios. Demonstração excessiva de carinho não acontecia e abraço só com muito esforço...tudo bem que sou uma versão evoluída e demonstro, mas não sou chiclete.


Agora com namorados me dá uma agonia imensa aqueles nhem nhem nhem...


Não sei se é só comigo ou se é porque tenho me deparado todo dia com estes casaizinhos. Isto porque optei ser uma pessoa mais sustentável (além de me sustentar rsss), largar o carro e usar nosso transporte público. 



Imagina um metrô cheio, mas bem cheio mesmo, tipo show de banda pop, que a gente levanta o braço e nunca mais abaixa? 


Então! 
Nessa situação você se depara com estes casais que ficam dando 890 bitocas, abraços e outras delicadezas e você no meio deles querendo passar para entrar ou sair do metrô. A menina ou o menino segura o namorado ou namorada como uma algema, abraça de forma que ele ou ela não respire (somente o necessário) e começa a beijar testa, cabeça, bochecha, etc. Metrô não é motel gente...



Você tem milhares de outros momentos para fazer isto. Querendo ou não seu namorado ou namorada não vão conseguir nem respirar direito dentro do metrô quanto mais dar em cima de alguém que não seja você...então menos neste caso é mais.


Além disto, se vocês não forem descer na mesma estação você não terá controle sobre seu parceiro(a). Inclusive já assisti cenas de manifestações de amor profundo que duraram até a parceira ou parceiro descerem da estação. Portanto, menos é mais.