22 de fev de 2015

Um presentinho

Hoje a história do Conta pra mim, Déo é muito divertida, mas pode acontecer com qualquer uma de nós hein mulherada?

"Oi Déo, tudo bom?

Meu nome é Paloma e tenho 38 anos e sou solteira. Adoro seu blog porque além de ser verdadeiro é espontâneo, não tem cara daqueles blogs que ficam contando historinhas para fazer sucesso, você fala do coração para nós! E vou dizer conheço alguns homens que leem ele viu?

Eu nasci numa família super conservadora. Três homens e 2 irmãs mais velhas, ou seja, 5 acima de mim e eu a mais nova desta grande família. Se eu tenho 38 anos imagina a idade dos meus irmãos. A mais nova tem 48 (10 a mais que eu). Nesta família todos são casados, menos eu claro! E minhas irmãs casaram virgens e são casadas há séculos com o mesmo homem. Isto é uma regra da minha família: casar virgem e não desonrar a família.

Eu não sendo casada até hoje é óbvio que não fiquei esperando o príncipe encantado para aproveitar a vida de solteira, porém, por conta da família que nasci, sempre me senti "a errada". Então por conta disto, nunca fui a doida que sai pegando todo mundo.

De uns tempos pra cá, as coisas estão mais vulgarizadas e homem a gente só consegue se for ter uma beliscada (aprendi aqui) para uma noite, fora isto esquece (pelo menos comigo). Foi por isto que decidi comprar um vibrador e agora começa a história de verdade, até aqui era só uma introdução.

Como os últimos caras que apareceram são melhores falando do que agindo uma amiga me convenceu que seria uma boa. Claro que não tive coragem de entrar em um sex shop! 
- Oi boa tarde, me vê uma coca-cola e um vibrador por favor? - não ia dar.

A internet é mestre nisto e os sites são super discretos. Eles garantem que a embalagem chegue até mim de forma confidencial e discreta. Papel pardo enrolado apenas com o meu nome e nada que remeta ao produto. Depois de olhar muitos modelos, tamanhos, formatos, cores, etc resolvi comprar um para dar início a série (minha amiga diz que depois que eu começar não vou parar mais e que o primeiro é só para dar mais vontade). Escolhi o meu presentinho e comprei...

Déo, eu moro em prédio e todas as minhas compras por internet chegam direitinho até mim, então fiquei tranquila. Em dois dias no site dizia que eu teria o produto em mãos...ou em outros lugares que eu achasse conveniente. Deu os dois dias e nada de ter encomenda para mim:

- Tem certeza que não tem nada para mim ai Seu Zé?
"- Tenho D Paloma, eu sempre vejo tudo." 

Três dias, quatro e nada. No site dizia que o produto estava entregue. E a coragem de ligar lá para saber maiores informações? Mandei e-mail. Neste aspecto o site deu mancada...levou dias para responder...

Uma semana depois sem meu presente toca a campainha do meu apto.
- Quem é?
" - Um vizinho..."

Abri a porta pensando - vai ver que é alguém que vai se declarar para mim. Tem tanta gente neste condomínio, vai que ne Deozinha?

- Ola!
" - Oi, Paloma Junqueira ne?" 
- Isso.
Ele olhava sem graça para uma sacola e para mim...e eu não entendia nada. Até que ele falou.

" - Olha eu tenho um filho de 5 anos muito curioso e entregaram uma encomenda para mim só que não era para mim. Eu deixei na mesa da sala porque ia entregar de volta para a portaria, mas no tempo de trocar de roupa e voltar para a sala meu filho já tinha aberto a embalagem e achou que era algum brinquedo...colocou no chão e a cachorra ficou feito doida tentando morder o...o...ele. Me fala o valor que eu te pago, do jeito que está não vai dar para você usar." 

Depois de ter deixado minha dignidade no chão e minha vergonha nas costas encarei o sujeito e disse com a maior cara de pau do mundo:

- Não se preocupe, na verdade isto era uma brincadeira com uma amiga que fez sua despedida de solteiro ontem. Era meu presente para ela, como eu achei que a empresa estava me enganando comprei outra coisa. Não se preocupe mesmo.

" - Mas faço questão me fala quanto foi e você compra outra para ela."

- Não é nada!

" - Eu não entendo muito destes brinquedos eróticos porque minha mulher não gosta, vou deixar R$ 50,00 para você e ficamos assim, ok?"

Diante da situação disse ok peguei o dinheiro e quando estava quase fechando a porta ele me diz:
" - Depois me conta se é bom mesmo de repente convenço minha esposa...não esquenta que não vou contar para ninguém" 

Fechei a porta e por muitos dias tentei evitar andar pelo condomínio com medo de ser reconhecida, mas tive coragem de ir ao sex shopp e comprei eu mesma o novo produto...e com o $ que ele me deu ainda comprei mais coisinhas! rss

É isto Déo...quando eu entro numa roubada é pra valer!"


Paloma: eu sei que você passou vergonha, mas foi sensacional! Ri muito. Conte mais histórias! Adoraria compartilhar aqui! 
Beijão

11 de fev de 2015

Tocos, foras e afins!

“ Oi Déo, como prometido vim contar o que aconteceu com o cara do Tinder e a história é grande. 

Uma breve introdução da situação..

Tenho 23 anos e até o último mês nunca tinha ficado com ninguém porque sou antissocial com problemas de autoestima decorrentes da obesidade na adolescência e muito tímida, (cara de pau) mas tímida.

Nunca entendi a minha "sorte" com os homens. Eu sou uma nerd que estuda engenharia da computação então vivo rodeada de homens na faculdade e no trabalho (obrigada Deus), mas é normal pra mim pois eles são como irmãos e me tratam como um menino também. Apesar de algumas tentativas frustradas nunca tive nada com nenhum deles, apenas sucessivas paixões platônicas e muitos tocos, foras e afins.

Depois de muita pressão dos amigos (esses lindos, amo vocês) resolvi instalar o Tinder e tentar ficar com um cara (digo tentar porque eu MORRIA de medo de homens) qualquer aproximação, apesar de querer.

Conheci alguns caras e um deles me chamou para sair: lindo, alto, barbudo me encantei na hora! Fomos para o cinema – foi o primeiro encontro da minha vida. O filme foi péssimo, mas a companhia era incrível. Gostei muito, muito dele e aí que começou a meleca toda. Na hora de ir embora, teve apenas um abraço, muito gostoso - nesse momento eu já era uma geléia de tão derretida por ele.

Eu sou ansiosa demais e queria ver ele de novo e ele disse que a gente ia se encontrar de novo, que tinha gostado de mim e tals. Confesso que eu estraguei porque surtei de ansiedade... U_U. Ele caiu fora, depois voltou, depois inventou desculpas, depois se foi de novo, me bloqueou de todos os lugares possíveis de se bloquear alguém e me disse gentilmente "segue tua vida, me esquece".

Eu e o drama somos amigos então “...meu mundo caiu”. Depois de um tempo já recuperada fui dar outra chance ao Tinder. Moro em Joinville e ajustei pra buscar pessoas num raio de 10 km  e apareceu um jovem interessante (lê-se nerd), ele estava em Florianópolis (porra Tinder, são 200 km), mas era de Minas estava à trabalho e disse que iria em Joinville, mas acabou que não deu. Por mim tudo bem, mas ele quis manter contato, eu avise: corra jovem! corra para longe! corra pela sua vida!... mas ele não correu ¬¬

Ele queria, se apaixonou, insistiu e conquistou o meu coração (que gay), maaaaas... são 1000km de distância né. E quem escuta a razão quando se está apaixonado? Eu que não.

Foi o mais próximo de um namoro que eu já tinha tido, só que a ansiedade atacou de novo. Por volta do segundo mês que a gente se conhecia, eu comecei a encher muito a paciência dele cobrando atenção, carinho, essas coisas. E ele tem uma vida atribulada. A passagem estava comprada, tudo marcado para ir vê-lo, mas ele desistiu. 


No meio disto ele ficou doente, teve que viajar para se tratar, já estava sem saco para falar comigo e sem a tal da paciência que ele disse que teria comigo por conta da minha ansiedade (sim é um distúrbio).

Neste processo fiquei revoltada com tudo principalmente comigo que estrago as coisas com esse meu jeito tão sutil quanto uma bigorna no mindinho do pé. Como tudo tem uma razão de ser, comecei a meditar, a tratar essa ansiedade, entendi muitas coisas, vi que precisava mudar rápido porque isso me fazia mal, me tirava todo o foco e eu gastava energia aonde não era importante.

Ai cheguei a uma louca conclusão: chega de procurar uma pessoa legal, que eu goste, me apaixone e só então ter alguma coisa, eu vou pagar para ver para o primeiro que aparecer! E ai voltei ao Tinder (hahaha), parecendo uma metralhadora alemã atirando para todo lado.

Conheci três caras: um ruivo, um moreno e um loiro (viva a diversidade!). Saí com o ruivo numa segunda-feira, e dei meu primeiro beijo (o mico foi contar isto para ele), mas na verdade eu não curti muito o cara, a noite até foi legal, mas não teve aquela "coisa".

Logo depois com muita insistência por parte do moreno eu fui encontrar com ele numa loja de departamento (que romântico), mas eu não queria ir. Conheci ele. Não queria ficar. A gente conversou. Ele me chamou pra sair dali e ir pra um lugar mais legal ( ͡° ͜ʖ ͡°)

No estacionamento teve um beijo, esse foi bom, mas por favor né eu não sabia beijar, então continuava sendo trágico. Aí quando ele vira a esquina tcharammm um motel. Eu sei, eu sei foi maluquice, eu sei que ele podia ser um maluco, mas sei lá, eu fui nem sei porque até hoje. Sim, eu transei com um cara que eu tinha conhecido há 1h. Sim, eu era virgem até então. Sim esse foi o segundo cara com quem eu fiquei. Sim, eu gostei muito, muito, muito. Sim, eu sou maluca, muito maluca...

Só sei que a gente se viu de novo, e de novo, e de novo e semana que vem a gente faz um mês juntos!!! Ele é tão maluco, bobo e idiota quanto eu. Tem o mesmo humor de besta que eu hahaha e eu tô muito feliz com ele, a gente faz planos idiotas e isso é legal hahaha (nhooow... que viadagem *-*)
Ah e agora os beijos são ótimos!!!

Bom Déo, era isso, eu me senti desafiada a usar o Tinder por sua causa e por isso queria te contar. Beijão.”
  

Graziela, em primeiro lugar quero te agradecer por ter compartilhado a sua história tão intima no Cai Fora Deodora. Em segundo, dizer que eu admiro a sua coragem em expor uma situação que é complicada e delicada: baixa autoestima causada por obesidade, ansiedade etc. Você foi atrás e viu que ansiedade é sim uma doença e que pode ser tratada. Aconselho a todas que tem ansiedade além do normal procurarem um especialista, terapeuta ou um homeopata para ajudar com esta questão. 

E por último dizer que fico feliz que a sua história teve um final feliz (redundante), mas dar uma espécie de puxão de orelha. Este mundo tem muita gente doida, você teve sorte de achar um maluco do bem, mas está cheio de histórias de maluco do mal.

Que esta relação te traga bons momentos e que a sua ansiedade se torne apenas lembrança. Lembrando que ansiedade é medo do futuro e o futuro está lá, ainda não chegou, portanto viva a sua vida aproveitando todos os momentos! 

Um beijão Grá!

5 de fev de 2015

Direto de Portugal

Fico muito feliz com o alcance que a internet permite.
Hoje a história que vou postar aqui é da Alina.

A Alina é de Portugal! Olha que demais!

" Oi Deo! Hoje finalmente resolvi escrever uma das minhas aventuras (que não são poucas)!

De hoje não passa!! E isto é uma espécie de grito de revolta.

Pronto estou mais calma...minha gente será que eu estou louca ou hoje em dia os homens só querem mulheres lindas e de boca calada sem personalidade ou com uma personalidade banho-maria (que não se pode manifestar para não dar espaço para uma má interpretação da parte dos homens)
Tenho a impressão que agora até respirar pode ser interpretado de forma negativa para a gente. Vamos voltar ao início...tudo começou "graças" ao tinder. Conheci um cara "girissimo" (ponho entre parênteses porque gostos são relativos e eu tenho uns gostos estranhos segundo as minhas amigas, e quando digo pessoa gira é sobretudo porque tem uma aura encantadora, sabe aquelas pessoas que parecem adoráveis, pois é, para mim são pessoas giras. Enfim, o rapaz parecia muito querido e logo passamos para o wattsap e facebook.
Marcámos várias vezes uma corridinha, mas nunca confirmei estas saídas. Combinamos de nos ver antes das férias (Natal), mas no dia eu dei para trás (motivo: tinha outro nas paradas e eu não estava decidia). Ele também tinha me convidado para uma festa na casa do povo (para quem não conhece é uma espécie de festa onde quase ninguém se conhece e cada um convida quem quer, os estudantes adoram fazer esse tipo de festa e eu já tinha recusado pois era no dia em que eu ia viajar (por ironia do destino ou praga perdi o vôo e lá fui com uns amigos nesta tal festa.
Foi a primeira vez que nos vimos e fiquei encantada!!!! Um doce, simpático fazendo tipo de indiferente (como a gente gosta) com um ar bem misterioso que não deixa ninguém adivinhar o que vai na cabeça dele.
A festa continuou em outro local, mas ele depois foi embora e até me ligou nessa mesma noite, mas eu não cheguei a ver. No dia seguinte falamos pelo facebook  e nos outros dias expressei o meu encantamento e ele assegurou-me que era recíproco. Garantiu que detestava falsidade, encontramos imensos pontos em comum e blá blá blá. Parecíamos dois adolescentes encantados (pensei eu), mas como eu não estava em Portugal não nos podíamos ver tão cedo, mas combinamos de nos ver no dia em que eu chegasse.
Neste período senti o clima esfriar, mas eu estava super empolgada mesmo assim. No dia em que cheguei ele mudou de planos e perguntou se eu não me importaria de ir à casa dele porque tinha muitas coisas para fazer e não tinha como sair.

Eu disse ok também não era um grande problema, mas as coisas desandaram quando cheguei um pouco atrasada, liguei ele não atendeu  e eis que passa um amigo dele (que conheci no dia da festa) e eu pergunto pelo rapaz e ele diz que o amigo estava dormindo e tinha acabado de acordar.
Oi??????? Nesse momento ele ligou para mim e pediu desculpa, que tinha adormecido e não viu a minha chamcada, blábláblá...ou seja, esse encontro começou da pior maneira já nem tinha mais clima, estava bem desiludida pela falta de entusiasmo e perdeu todos os pontos que tinha ganho, só para piorar enquanto estávamos juntos chegou outro amigo que ficou lá empatando, mas a cereja no topo do bolo foi quando ele me disse que tinha muita coisa para fazer, meio que me dispensando. Fiquei P da vida mas mantive a linha.

Fui para casa convencida que tinha sido uma catástrofe, mas curiosamente fiquei triste porque queria voltar a vé-lo ( ê se pode???) ele ainda mandou uma mensagem perguntando se tinha chegado bem a casa e eu disse que sim, mas que também não ia esquecer que ele me trocou pelas camisas dele ( sim, porque o que ele tinha para fazer era tratar das camisas, e eu sinto-me ridícula a contar isto, onde será que eu perdi o meu orgulho!!!!) e ele lá disse que não tinha me trocado por nada nem ninguém.

Como devem imaginar no dia seguinte nem sinal do finado e no segundo dia eu estava numa depressão (eu sou a mulher mais idiota desta terra! Tinha saudades dele) e lá mandei um oi no final da tarde e ele respondeu duas horas depois com um "oi desculpa a demora,tive um dia péssimo e blá blá blá" eu me derreti toda de novo, mas consciente que ele já tinha dado todos os sinais do mundo que não estava interessado e eu insistindo durante a semana toda. O pior é que já tínhamos um jantar combinado  que ele desmarcou no dia!! Não me aguentei!!!!
Mandei uma mensagem longa, mas honesta, dizendo que percebi a falta de entusiasmo e só queria que ele me confirmasse que ele já não tinha interesse em mim, que não levaria a mal, mas que precisava mesmo saber, sabem o que ele me respondeu?

Que não me queria magoar mas que viu o meu "estado" e que ficou assustado! Assustado com o quê??? Gente demonstrar interesse é cobrar alguma coisa? Eu só perguntei se ele estava interessado porque simplesmente não quero ficar imaginando coisas ou fazendo filmes na minha cabeça! E ele ficou assustado com o quê? Eu não pedi ele em casamento, não pedi um filho, nem disse que queria namorar!!!!!

Estou farta desses homens babacas que não suportam nem o interesse de uma mulher neles.
E é isso Deo. Comigo é só isso e sempre assim.
Beijo para você e para todas as que seguem o blog!"

Alina, em primeiro lugar eu gostaria de agradecer por compartilhar sua história e por visitar o blog!
Em segundo eu acho que a única diferença dos homens daqui dos homens de qualquer outro lugar do planeta é a geolocalização!!!