16 de mar de 2015

Não mexa em gaveta velha

Outro dia eu fui fazer a contabilidade beliscal no meu facebook.
Alguns beliscos, rolos e ex-namorados eu mantive no face por não me fazerem mal algum e ao final deixarmos um na vida do outro algo positivo (nem que seja a sobremesa preferida dele que eu acabei amando também).

Depois do bode do fim da relação, da raiva e do ciúmes da próxima namorada, vem esta paz interior que não liga mais para o que acontece na vida deles, pelo menos é assim que funciona comigo.

Semana passada decidi ir visitar as páginas deles. Embora eu tenha eles no face, eu não os "sigo" ou seja, não vejo atualização da timeline deles por opção minha mesmo. Porque eu não preciso saber o que eles estão fazendo depois de minha entrada e saída na vida deles. 

Comecei por ordem cronológica (os rolos, beliscos mais antigos até os mais novos).

- Renato - foi meu namorado efetivamente. Aquela coisa toda das nossas famílias conhecerem a gente, do primo querer sair com a gente para as festeeenhas, da irmã ter ciumes do irmão, etc...
Status dele - namorando há anos com uma pessoa que parece muito com ele de rosto e de opção de vida e no último post (olha meu radar) eles estavam comunicando um possível noivado.
Status meu - ele não queria casar nunca e está noivo. Em choque!

- Paulo - foi meu rolinho fofo, romântico e dedicado. Uma história linda de "amor" que começou no Carnaval e acabou na Páscoa. Vivemos bons momentos, mas cada um foi para seu lado por questão de logística. Eu de São Paulo, ele de Curitiba. Não tinha como dar certo porque na época ninguém poderia sair da cidade natal e mudar para a cidade do outro. Sofremos na época, mas maduramente entendemos que o melhor era aceitar a distância e nossa vida sem o outro.
Status dele - acabou de casar (de novo) e a esposa está grávida (de novo)!
Status meu - em choque (de novo)!

- Marcel - o cara mais doido e doente que eu já conheci na vida, mas que tinha uma lábia tão bem feita, tão bem "labiada" e um jeito safado de ser que me conquistava sempre na segunda frase, independente de qual fosse ela. Aquele típico cidadão que não vale 1 centavo, mas que você paga todas as suas fichinhas para jogar de novo o jogo dele.
Status dele - casado e com um filho pequeno.
Status meu - eu poderia ser mãe! Em choque maternal!

- Ricardo - belisco que eu gostava de sair para dar um tapa na cara da sociedade preconceituosa e dizer que café com leite é uma bebida maravilhosa! Meu negão bombom delicioso. Pegador, mas discreto, não dava ponto sem nó, toda vez que conversava comigo me chamava de princesa (pode ser brega, mas quando ele falava era bom demais).
Status dele - em relacionamento sério com a ex dele (antes de mim) com declaração no face e tudo mais.
Status meu - em choque...profundo (sempre desconfiei que ele ainda gostava dela :( nas nossas saídas)

Parei de fazer minhas pesquisas porque estava ficando depressiva demais!

Foi quando o Marcos aparece no messenger do face e fala que está com saudades...
(ele foi um rolo que foi e voltou trezentas vezes e da última vez eu falei que estava cansada do relacionamento iô-iô que tínhamos, mas eu adoraaaava esta relação doidinha).

Conclusão: quanto mais mexe mais fede, então deixa o cheiro ruim aparecer sozinho, você não precisa revirar gavetas para chegar a conclusão alguma. Quem vive de passado é arqueólogo.





Reações:

0 comentários: