28 de out de 2009

Seboso

Era só eu lá, mais ninguém.
Eu passava por aquela rua e via aquele homem negro, alto e perfeito.
Rosto másculo, ombros largos, olhos negros e grandes.

Seu nariz era desenhado por Deus e seu corpo desenhado pela musculação!
Descobri que a loja que vendia livros por até 10 reais era dele, ou seja, o sebo era dele.

O Seboso, que agora tinha nome, era o vendedor de todos os tipos de livros que se pode imaginar. Eu passava por lá quase todas as semanas só para que ele notasse minha presença.

Até que um dia decidi subir a escadaria enoooooooooome.
Fui subindo e batendo palma "tem alguém ai? Ôoooo de casa!"
Lá de cima ouço uma voz grossa do meu Seu Jorge: "pode subindo"

Aquela voz grossa me extremeceu do cabelo ao pé...
- "Bom dia!"
- Oi, bom dia, eu...queria...é...eu...ah...tá calor aqui né? eu...eu trouxe uns Cd´s para você comprar (ele também comprava Cd´s)

- "Mas é muito barato para vender aqui, você não vai ganhar nada. Não quer vender em outro lugar?"

- NÃOOOOOOOOOOOO! LÓGICO QUE NÃOOOOO! Ops, quer dizer, não gosto deles e acredito que aqui tenha mais utilidade.

Ele foi buscar o troco - detalhe, o valor não passava de R$ 3,00. Enquanto isto fiquei reparando em cada detalhe: na cor das paredes (que um dia me disseram que falam muito sobre a pessoa, até hoje não entendi direito sobre isto), na organização dos livros, no pó das estantes...

Assim que ele voltou e me chamou eu virei e demos de cara praticamente grudados o que fez não resistirmos! O nosso beijo foi muito bom, mas durou tempo suficiente para ouvir um choro de um bebe que vinha do quarto no fundo do corredor...

- Você está ouvindo um choro?
- "Sim, é do Jorginho!" (pois é, ele era meu Jorge e o bebe Jorginho)
- Quem é Jorginho?
- "Meu filho. Ele tem 06 meses, quer conhecê-lo?"

Diante da situação não tinha nem o que falar
- Claro!
Ele chegou com um bebe lindo.
Olhei por cima do bebe para ver se encontrava a dona dele, ou seja, a esposa...não achando perguntei: 

- E você mora com quem? Com a mãe dele, você, ele e quem mais?
- "Só mora eu, ele e minha mãe"
- E a mãe dele???? (o coitado é viúvo - pensei)
- "Estamos brigados"
- Aham sei...ele não ri não? (BURRA! BURRA! BURRA! SAI CORRENDO DAI - pensei novamente)
- "Ele é sério...igual a mãe"

E lindo igual ao pai, pensei, mas não falei.

Arranjei uma desculpa esfarrapada e fui descendo as escadas...ele veio atrás de mim e disse que eu estava me precipitando. O cara tem um filho e EU ESTAVA ME PRECIPITANDO?????

Cedi mais alguns amassos dentro do meu carro, depois disto só vi ele mais uma vez na porta do Sebo: o Seboso, a senhora esposa Sebosa e o Sebosinho Mini Jorge.

O que eu posso dizer?
Cai Fora Deodora!

Reações:

6 comentários:

A questão realmente importante é: como foram os amassos? Sim, porque um negão desses, benzadeus... veja bem, eu sei que eu nunca o vi, mas a descrição que você vez de Jorge Seboso chegou a me dar um calorão... rssss!
Bjs!

Larissa PARA TUDO...ele era esculpido!

Bj da Dèo

Eu já saí com um negro lindo... JE-SUS! A descriçao que você dá do Jorge Sebosa, fez-me lembrar do meu Jorge. Sim, ele também se chamava Jorge.

Beijos, Déo.

Ô Déo, você não tem sorte né??
Sempre que acha um gato, ele é do tipo "pacote completo".
Assim não dá, reclama com o seu cupido, rsrsrsr.
Bjs !!

Karine o meu não se chamava Jorge mas era uma lembranca do seu Jorge cantor... O nome era Augusto. Delicia delicia assim vc me mata... Aí se eu te pego. Pri não dou sorte mesmo...por enquanto...por enquanto