10 de ago de 2011

Cão que late a Déo morde

Eu sei exatamente o que não esperar de um homem
Só que em algum momento o meu cérebro acha ou desconfia que algum determinado "tipo" me serve para alguma coisa...
Por isto eu preciso ensiná-lo que não, que este "tipo" não me serve para nada, mas isto leva tempo é como um adestramento!

Porque não funciona como interruptor; apertou, desligou, apertou, ligou!

Meu cérebro serve muitas vezes para complicar.
Se eu pensasse como um cão seria mais fácil: abanaria meu rabo (sorriria para todo mundo e tudo bem)!!!
Não me importaria com a ausência de caráter deste tipo porque eu teria recursos mínimos de sobrevivência como: água, comida, um espaço para dormir, um pouco de atenção e me sentiria bem.

Nem precisaria ligar no outro dia porque eu não me incomodaria e quando este "tipo" aparecesse abanaria meu rabo novamente! Simples assim!

O problema é que eu nasci em uma raça que ainda se incomoda com a atitude dos outros, sabe? E não sabe se desculpar se bem que perdão neste caso é praticamente ser Madre Tereza de Calcutá é ter que tomar todos os florais de Bah, de Jah, de Alah etc...


E eu não tenho a disposição e nem a habilidade de ser tão evoluída quanto os cães. E por isto eu decidi deixar este "tipo" bem longe de mim porque é também um tipo de cão aquele que se faz de coitado, mas deste tipo de cão que late a Déo morde...

Reações:

0 comentários: