23 de jul de 2013

Estar ou ser sozinho(a)?

Quem acompanha as histórias aqui no blog Cai Fora Deodora, sabe que eu estou solteira e já faz um tempinho. 
Nada preocupante (não me isolei do mundo, não quis comer, rezar para depois amar e nem fui pagar meus pecados na escadaria de Nossa Senhora Aparecida), mas por estar sozinha muitas vezes me perguntam:

" - Nossa Déo, você ainda está sozinha?" eu penso em muitas coisas antes de responder, mas limito a dizer: 
- Estou solteira, mas não sou sozinha.

Quando digo não sou sozinha, não estou me referindo a ter amigas e amigos de balada e nem dizendo que toda semana tem um cara diferente batendo na porta da minha casa. É que para mim existe uma grande diferença entre ser sozinha e estar sozinha. 

Ser sozinha independe de estar rodeada ou não de amigos. Independe de ter o marido dos sonhos. Ser sozinha é não ter se encontrado. É não ter descoberto que você é a melhor companhia de você mesma. Ser sozinha não é morar sozinha, ser independente. É algo desconexo. 

Já estar sozinha é um estado de espírito. É uma decisão. Você está sozinha agora porque escolheu estar sozinha. Você se reconhece como indivíduo único e escolhe estar neste momento sem ninguém.

Além destas suas situações tem aqueles que são sozinhos estão sozinhos. Ou seja, pessoas que estão sozinhas como consequência de serem sozinhas. Porque criaram um muro tão alto em seu redor, uma redoma de proteção tão intensa que não conseguem se relacionar com mais ninguém, ficam inacessíveis, esquecem de conviver e compartilhar. Esquecem de fazer parte de um todo. São pessoas que evitam o envolvimento (e não me refiro a envolvimento afetivo) me refiro a envolvimento puro. A estar disposto à alguma coisa. Estar disponível a se entregar.

E como todo mundo quer pertencer a algum lugar quando uma pessoa chega a este ponto é porque ela está e é sozinha. E normalmente esta situação recai sobre a mulher. A sociedade criou uma nova mulher que embora queira ser independente financeiramente, seja decidida, determinada, ela quer ter carinho, colo, reconhecimento, amor e um momento para compartilhar.

E você? Está sozinho(a) ou é sozinho(a)? Por que? Qual papel você escolheu estar? E lembrem-se: nós só conseguimos saber quem somos se aprendermos a aceitar quem somos.





Reações:

4 comentários:

Olá Deo!! Este é o grande dilema da minha vida... Sempre fui uma pessoa reservada e tímida, sempre optei por ficar estudando a me divertir e brincar com meus irmãos e primos. Isso sempre me rendeu uma excelência acadêmica, entretanto um desastre de vida social.
Quando entrei na adolescência, por conta desse meu jeito, nunca fui em muitas festas, e sempre estive na companhia de poucas pessoas (normalmente família). Literalmente, um bicho do mato!!!
Depois vieram os relacionamentos, dois namoros longos, entretanto acabei vivendo com os amigos deles, a vida deles. Hoje, com o fim do meu último relacionamento, após 1 ano solteira vejo o quanto estou sozinha, e o quanto isso é prejudicial para mim. Quando se tem uma criação como a minha, é difícil derrubar essa barreira de se aproximar das pessoas, o medo da rejeição é ENORME!!!
Sei que a minha situação atual, muito tem a ver com esse meu histórico, mas é mega ultra difícil chegar em casa depois do trabalho e estar sozinha, só com a companhia da minha cachorrinha, e que a única pessoa que liga pra saber como estou ou se estou viva é a minha mãe!! Aff... Haja terapia nesse meu caso né?? Enfim.. Estar sozinha é uma opção temporária, até encontrar alguém que valha a pena.. Agora ser sozinha é uma via de mão dupla, você pode ser muito bom, se você for bem resolvida e estar feliz mesmo assim, ou como eu, sentir um buraco na sua vida que pode trazer sérios problemas, como uma depressão, ou algo do gênero...

Sad girl...
Entendo o que você está falando e fico muito feliz que tenha falado um pouco da sua vida aqui.

A solidão depende da gente permitir ou não que outra pessoa faça parte da nossa vida e as pessoas só fazem parte da nossa vida se a gente se expõe.

Se expor é um ato de coragem, mas com ajuda profissional (terapia), muita conversa e determinação conseguimos evoluir.

E você tem sua mãe para te ligar e saber como voc~e está. Tem gente que não tem esta possibilidade porque ela já partiu...

Tente focar nas coisas boas da sua vida e tente todo dia se arriscar, nem que seja dar um bom dia e um lindo sorriso a um desconhecido.

Toda caminha começa no primeiro passo!

Boa sorte!

Bjs da Déo

Oi Deodora,
Meu caso é o oposto. Mesmo casada, com filhos, alguns amigos e parentes, eu me SINTO sozinha. Ah, e a minha mãe nunca me liga para saber se estou bem. Pois é, né? Cada um com sua cruz para carregar.
Mesmo em uma festa cheia de gente eu me sinto absolutamente só. É como se não fizesse parte desse mundo. Vai entender o porque. Você é corajosa. Estar sozinha sem sentir solidão? Quem me dera... beijos pra vc

Garota confusa, quanto mais sabemos nossos limites e nossos medos fica mais fácil de lidar com o estar sozinha. Eu não me sinto corajosa, eu me sinto bem comigo mesma o que não significa que não me sinta sozinha.

Sabe aquela frase "se a vida te der limões faça uma limonada?" é como eu penso...e tento viver...

Claro que um colo e um cafuné faria um bem enorme...mas enquanto não tenho este colo eu tento ser o melhor colo para mim!

Bjs da Déo