28 de jan de 2014

Confie na sua intuição, mas na primeira!!

Esta semana contaremos mais uma história de amargá! 
E foi assim que aprendi com o facebook
Era aniversário de 100 anos da minha vozinha. Eu moro em BH, porém minha família quase que completa reside no interior por isso a festa foi lá.

No meio da festa uma prima, que também morava em BH, me disse que um rapaz estava interessado em mim. Quando o vi relutei, pois ele aparentava ter uns 17 anos. Eu já nos 30 não me atreveria. Não posso negar: era gato. Cada mulher tem suas preferências, mas assim que ele chegou não pude deixar de notar aquele corpo escultural resultado de muitas horas de malhação. Cada idade da vida tem sua vantagem e estes jovens tem uma energia de invejar.

Bom mas voltando à festa... ele foi se aproximando e insistindo e até conversou com o meu pai dizendo que se interessava por mim. Meu pai, mesmo sendo um homem sério, de cara de poucos amigos respondeu dizendo: “bom mesmo, ela está precisando!”. Já é triste quando toda a família se une pra te dar um empurrãozinho, mas até o pai da gente já é sacanagem.

Quando então nos aproximamos para conversar descobri com alívio que ele tinha 21 anos (ufa! Como se fizesse alguma diferença). Perguntei então se ele tinha namorada e ele disse que não. Perguntei se ele tinha face e ele disse que sim e pediu o meu. Então eu dei o meu perfil no face e ele o dele, porém não o consegui encontrar no momento.

Rolou uns beijos, participamos de um happy hour na casa de uma prima e voltamos para BH na companhia de meus primos. Ele era um fofo, um lord, um príncipe. Fiquei encantada. Ele pegou meu telefone e óbvio que aguardei ansiosamente sua ligação que não aconteceu. Aguardei dias e depois me conformei.

Mês depois, o príncipe apareceu. Disse que havia viajado de férias. Que tinha perdido o telefone. Claro que desconfiei da história, mas ele soube me convencer aos poucos. Começamos a ficar e o codinome príncipe lhe cabia bem. Ainda me incomodava a idade, mas aos poucos, com os conselhos dos amigos fui me acostumando. Ele era estudante de odontologia e tinha horários loucos. Além disso, trabalhava nos finais de semana. Isso me gerava certa desconfiança.

Após algumas semanas juntos uma prima me convidou para um aniversário. Eu o convidei para ir comigo. E foi quando tudo aconteceu...

No mesmo dia à noite recebi uma mensagem que dizia: “precisamos conversar!”. Esta frase merece uma pausa. Talvez seja a mensagem mais temida do mundo dos relacionamentos. Homens poderiam variar o repertório. Que tal: “Vamos sair pra conversar pra que eu te dê um carinhoso pé na bunda?” Ou, “Querida, não dá mais. Que tal evitar o stress e terminar por aqui? Eu não te ligo você não me liga e ficamos bem”. Ou ainda, “Não te quero mais, vaza!”. Fato é que nenhuma dessas expressões são agradáveis de ouvir, mas quando se recebe um “precisamos conversar” o efeito é o mesmo na cabeça e coração da gente.

Já à noite ele me ligou e disse que não tinha coragem de dizer. Após insistir, ele me disse que tinha se acertado com a ex-namorada. Foi o fim de tudo. Mas não o fim da história....

Fiquei derrotada dias. E sabe como é né? A gente tem a mania de querer saber o que a outra tem que você não tem. O que te faltava que o fez sentir falta do relacionamento antigo... E quem responde estas perguntas??? Facebook! Comecei a olhar algumas fotos dele com meus primos e alguns comentários de uma garota me chamaram atenção. Quando entrei no face dela: surpresa!!! Uma foto enorme de capa onde os dois se beijam em cima de uma moto. Ao descer a linha do tempo eles começaram a namorar em novembro do ano anterior. Era agosto. Percebi que não tinha o nome dele marcado no relacionamento. Entrei com outro perfil e estava lá o nome marcado.
Aí descobri toda a história igual aqueles filmes em que a história faz sentido no final. O dia que o conheci na festa ele pediu meu facebook lembram? Naquele exato momento ele me bloqueou. Por isso eu nunca o encontrei, nunca descobri que ele era comprometido. Ele era um profissional. Quando o convidei para sair estaríamos na mesma roda de amigos da namorada e aí então ele resolveu a situação e deu um fim na amante. Fui a outra e nem sabia.

Aprendi neste dia a ter um perfil adicional e a fuçar absolutamente tudo no facebook, google e afins para evitar roubadas como esta! 
Magali, uau que babado! 
Essa foi boa, mas o melhor que você superou, tanto é que nos contou esta história! 

Reações:

5 comentários:

Queriiiida, passei por situacao parecida esses dias, o meu ficante dormiu em casa e deixou o cel de bobeira.Entao corri no Whatsapp dele e vi que o dito cujo havia encontrado a ex, fiz um barraco! Mas isso era o de menos, no outro dia ele a leva pra casa que por sinal ele e meu vizinho de apto. E entao fiz outro barraco kkk e final da historia eles estao juntos !
Mas como minha vozinha dizia voltar cm ex e igual colocar agua no shampoo, funciona mas fica ruim kkk Beeeijos Deo.
Bye Leticia( Estava cm saudades daqui)

É o que eu sempre falo Déo. Não existe "Sherlock Holmes" que chegue aos pés de uma mulher com uma pulguinha atrás da orelha, armada fortemente com FACEBOOK. Eu mesmo, já descobri cada coisa, que daria uma história por dia aqui no Cai Fora Déo, pelos próximos 30 anos.Porém é aquela história né meninas?! Quem procura, é claro que acha! Massss, se vc não perdeu nada, pra que procurar? Ta na cara que vc vai se estrepar no final. Boa Sorte Magali. Beijinhos Déo ! Como sempre, me consolando à cada fase da minha vida :*

Lele fofa!!! Adorei a frase da sua avó, vou pedir licença para usar no facebook porque ela é OTIMA!

Rê, com certeza nada como intuição e facebook!

Lindas obrigada pelo carinho de SEMPRE!!!!! :)
Bjs da Déo

Pra que tanto barraco, Letícia, que coisa mais sem classe

Poxa é o que eu também acho, que muita gente deve cair fora.
No meu caso, pelo que me consta, eu não estou no caminho de ninguém..