11 de fev de 2015

Tocos, foras e afins!

“ Oi Déo, como prometido vim contar o que aconteceu com o cara do Tinder e a história é grande. 

Uma breve introdução da situação..

Tenho 23 anos e até o último mês nunca tinha ficado com ninguém porque sou antissocial com problemas de autoestima decorrentes da obesidade na adolescência e muito tímida, (cara de pau) mas tímida.

Nunca entendi a minha "sorte" com os homens. Eu sou uma nerd que estuda engenharia da computação então vivo rodeada de homens na faculdade e no trabalho (obrigada Deus), mas é normal pra mim pois eles são como irmãos e me tratam como um menino também. Apesar de algumas tentativas frustradas nunca tive nada com nenhum deles, apenas sucessivas paixões platônicas e muitos tocos, foras e afins.

Depois de muita pressão dos amigos (esses lindos, amo vocês) resolvi instalar o Tinder e tentar ficar com um cara (digo tentar porque eu MORRIA de medo de homens) qualquer aproximação, apesar de querer.

Conheci alguns caras e um deles me chamou para sair: lindo, alto, barbudo me encantei na hora! Fomos para o cinema – foi o primeiro encontro da minha vida. O filme foi péssimo, mas a companhia era incrível. Gostei muito, muito dele e aí que começou a meleca toda. Na hora de ir embora, teve apenas um abraço, muito gostoso - nesse momento eu já era uma geléia de tão derretida por ele.

Eu sou ansiosa demais e queria ver ele de novo e ele disse que a gente ia se encontrar de novo, que tinha gostado de mim e tals. Confesso que eu estraguei porque surtei de ansiedade... U_U. Ele caiu fora, depois voltou, depois inventou desculpas, depois se foi de novo, me bloqueou de todos os lugares possíveis de se bloquear alguém e me disse gentilmente "segue tua vida, me esquece".

Eu e o drama somos amigos então “...meu mundo caiu”. Depois de um tempo já recuperada fui dar outra chance ao Tinder. Moro em Joinville e ajustei pra buscar pessoas num raio de 10 km  e apareceu um jovem interessante (lê-se nerd), ele estava em Florianópolis (porra Tinder, são 200 km), mas era de Minas estava à trabalho e disse que iria em Joinville, mas acabou que não deu. Por mim tudo bem, mas ele quis manter contato, eu avise: corra jovem! corra para longe! corra pela sua vida!... mas ele não correu ¬¬

Ele queria, se apaixonou, insistiu e conquistou o meu coração (que gay), maaaaas... são 1000km de distância né. E quem escuta a razão quando se está apaixonado? Eu que não.

Foi o mais próximo de um namoro que eu já tinha tido, só que a ansiedade atacou de novo. Por volta do segundo mês que a gente se conhecia, eu comecei a encher muito a paciência dele cobrando atenção, carinho, essas coisas. E ele tem uma vida atribulada. A passagem estava comprada, tudo marcado para ir vê-lo, mas ele desistiu. 


No meio disto ele ficou doente, teve que viajar para se tratar, já estava sem saco para falar comigo e sem a tal da paciência que ele disse que teria comigo por conta da minha ansiedade (sim é um distúrbio).

Neste processo fiquei revoltada com tudo principalmente comigo que estrago as coisas com esse meu jeito tão sutil quanto uma bigorna no mindinho do pé. Como tudo tem uma razão de ser, comecei a meditar, a tratar essa ansiedade, entendi muitas coisas, vi que precisava mudar rápido porque isso me fazia mal, me tirava todo o foco e eu gastava energia aonde não era importante.

Ai cheguei a uma louca conclusão: chega de procurar uma pessoa legal, que eu goste, me apaixone e só então ter alguma coisa, eu vou pagar para ver para o primeiro que aparecer! E ai voltei ao Tinder (hahaha), parecendo uma metralhadora alemã atirando para todo lado.

Conheci três caras: um ruivo, um moreno e um loiro (viva a diversidade!). Saí com o ruivo numa segunda-feira, e dei meu primeiro beijo (o mico foi contar isto para ele), mas na verdade eu não curti muito o cara, a noite até foi legal, mas não teve aquela "coisa".

Logo depois com muita insistência por parte do moreno eu fui encontrar com ele numa loja de departamento (que romântico), mas eu não queria ir. Conheci ele. Não queria ficar. A gente conversou. Ele me chamou pra sair dali e ir pra um lugar mais legal ( ͡° ͜ʖ ͡°)

No estacionamento teve um beijo, esse foi bom, mas por favor né eu não sabia beijar, então continuava sendo trágico. Aí quando ele vira a esquina tcharammm um motel. Eu sei, eu sei foi maluquice, eu sei que ele podia ser um maluco, mas sei lá, eu fui nem sei porque até hoje. Sim, eu transei com um cara que eu tinha conhecido há 1h. Sim, eu era virgem até então. Sim esse foi o segundo cara com quem eu fiquei. Sim, eu gostei muito, muito, muito. Sim, eu sou maluca, muito maluca...

Só sei que a gente se viu de novo, e de novo, e de novo e semana que vem a gente faz um mês juntos!!! Ele é tão maluco, bobo e idiota quanto eu. Tem o mesmo humor de besta que eu hahaha e eu tô muito feliz com ele, a gente faz planos idiotas e isso é legal hahaha (nhooow... que viadagem *-*)
Ah e agora os beijos são ótimos!!!

Bom Déo, era isso, eu me senti desafiada a usar o Tinder por sua causa e por isso queria te contar. Beijão.”
  

Graziela, em primeiro lugar quero te agradecer por ter compartilhado a sua história tão intima no Cai Fora Deodora. Em segundo, dizer que eu admiro a sua coragem em expor uma situação que é complicada e delicada: baixa autoestima causada por obesidade, ansiedade etc. Você foi atrás e viu que ansiedade é sim uma doença e que pode ser tratada. Aconselho a todas que tem ansiedade além do normal procurarem um especialista, terapeuta ou um homeopata para ajudar com esta questão. 

E por último dizer que fico feliz que a sua história teve um final feliz (redundante), mas dar uma espécie de puxão de orelha. Este mundo tem muita gente doida, você teve sorte de achar um maluco do bem, mas está cheio de histórias de maluco do mal.

Que esta relação te traga bons momentos e que a sua ansiedade se torne apenas lembrança. Lembrando que ansiedade é medo do futuro e o futuro está lá, ainda não chegou, portanto viva a sua vida aproveitando todos os momentos! 

Um beijão Grá!

Reações:

4 comentários:

Legal...
Legal mesmo, enfim, uma história de Tinder que deu certo...
Monicats

Ta vendo Monicats! Não desanime não!
Beijão e bom Carnaval!

ai esse tinder...eu que se beeeem como é! Tem que ter paciência. Amor existe (eu acredito) até no app, difícil é achar

Existe sim galera, vamos acreditar!

Bjokas