10 de ago de 2017

A tal da maturidade...

Na minha vida inteira eu idealizei alguém para mim. Fui ao dicionário para saber exatamente o significado da palavra "idealizar"  -

"imaginar(-se) de maneira ideal ou criar na imaginação; fantasiar, imaginar idear."


Seguindo esta linha de raciocínio eu, Deodora Mendonça, criei na minha imaginativa cabecinha o que seria o homem perfeito. Ele tinha uma lista infinita de qualidades, mas confesso que eram mais atributos físicos do que qualquer outra coisa. Que fosse alto, lindo, tipo atlético, perfeito, gostoso, bom de beijo, pegada etc, etc, etc...

E para ajudar eu sempre queria os mais novinhos...sabe como é né? Não dá tanto trabalho, te trata como uma deusa e ainda por cima a gente acaba tomando as rédeas da relação...só que não! Não existem apenas as coisas boas deste tipo de relacionamento. Eles não tem algo que a vida pede num determinado momento e que é a tal da maturidade.

Ok, um parênteses: nem todo novinho é imaturo, mas quando a gente tem uma margem de 10 anos para baixo da nossa fica puxado encontrar um homem maduro (risos).

T
enho um pergaminho de novinhos sem noção. Inclusive aconteceu uma coisa muito curiosa em um dos casos. O cara me conheceu em algum app de relacionamento, mas como demorou muito para me convidar para sair, desencanei.

Deletei ele dos lugares que havia adicionado e vocês acreditam que tempos depois ele me achou no Facebook, depois num outro app e mais para frente no WhatsApp e mandou praticamente a mesma mensagem? Em épocas diferentes? Em todas ele dizia que eu era linda demais e que ele gostaria muito de me conhecer. 

Vocês devem estar pensando: " - Deo, larga de ser ingênua, ele fez tipo!" pior que não gente ele é lesado messssssssmo. Na primeira mensagem eu falei que já havíamos nos trombado nas redes sociais...ele me respondeu " - sério? nossa então eu gostei mesmo de você " nas outras eu simplesmente ignorei...

Bom Déo, volta pro foco do tema né...a idealização! Esta danada cria na nossa cabeça o que queremos e ai a gente vai brigar com os outros quando eles não são o que imaginamos, sem nos darmos conta de que é tudo coisa da nossa mente.

O tempo passa, a gente começa a refletir no que realmente vale à pena, no que realmente queremos para a nossa vida. Avaliamos se é legal um modelo ao nosso lado apenas desfilando com a gente ou alguém que de fato esteja com a gente na parceria!

No meio destes pensamentos todos acabei percebendo que a maturidade que eu tanto estava procurando nos outros, chegou em mim e por isto que um rostinho bonito já não me anima mais. Posso amar um corpo atlético, um ombrão, rostinho de TV, mas ele precisa sair da telinha e provar para mim que tem muito mais a oferecer além de sua linda forma física...

E é por isto que eu vim aqui...para compartilhar este meu momento deo-talvez-agora-esteja-madura-e-espero-que-não-caia-do-pé quem sabe mais belezuras não se animem a pensar assim?




Reações:

0 comentários: